JornalCana

Planejamento pode garantir bons números da safra 2024/25

Alavancados pelo recorde da safra atual, investimentos na produção podem assegurar estabilização da próxima safra

O planejamento pode ser crucial para garantir números robustos na safra 2024/25, após o recorde da safra atual. Investimentos na produção são fundamentais para assegurar a estabilidade na próxima safra. O gestor corporativo da Canaoeste, Almir Torcato, destaca a importância de cautela e de estratégia, considerando as condições climáticas desafiadoras das duas safras anteriores.

“Com uma moagem recorde de 600 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2023/24, um aumento de 20% em relação ao ano anterior, os produtores têm a oportunidade de iniciar a safra 2024/25 de maneira positiva”, afirma Torcato, ressaltando que, embora formalmente a safra comece em abril, a colheita efetiva se inicia entre março e abril, com a presença de cana bisada, proveniente da safra anterior.

“A quantidade de cana bisada é mínima ou zero na nossa região (Ribeirão Preto – SP), o que não acontece em outras regiões, como Minas Gerais ou Goiás, e em locais com menos unidades, onde encontramos um percentual de maior de cana bisada”, informou.

LEIA MAIS > STF prioriza abastecimento com etanol em sua frota de veículos em busca de sustentabilidade

O gestor destaca fatores favoráveis, como condições climáticas mais lineares, recuperação na produtividade e preços mais animadores este ano. Isso proporciona aos produtores uma situação mais saudável para realizar investimentos necessários, contribuindo significativamente para a melhoria da produtividade.

Torcato observa também a importância do aspecto econômico, destacando que os preços mais favoráveis abrem oportunidades para investimentos necessários. A perspectiva de uma safra 2024/25 animadora é reforçada pela possibilidade de novos investimentos, permitindo que o setor se recupere de períodos desafiadores.

O gestor ressalta, ainda, as oportunidades vinculadas ao mercado de carbono, especialmente com o RenovaBio, que visa a valorizar o potencial sustentável do etanol. Ele destaca a importância de regulamentação para a participação adequada no CBIO, incluindo a parcela que deveria ser destinada ao fornecedor de cana, enxergando o programa como um exemplo potencial para o mundo.

LEIA MAIS > Estudo revela que 92% do etanol brasileiro provém de novas áreas de cana

Apesar das perspectivas positivas, Torcato lembra que o setor é influenciado por diversas variáveis, algumas das quais fora do controle dos produtores. Ele destaca a nobreza da atividade agrícola, reconhecendo a dependência de fatores como clima, mercado, questões políticas e variações nos custos de produção. Assim, o planejamento político contínuo é crucial para garantir a continuidade do cenário positivo na próxima safra.

“Brincamos que o produtor tem que ter fé, porque ele depende de diversas variáveis. A safra positiva em relação à produtividade não exclui a necessidade de um planejamento político para o setor, a fim de garantir que a temporada continue sendo positiva”, finaliza Torcato.

 

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram