fbpx

Etanol celulósico vai da promessa à realidade

Foi inaugurada, no início de outubro, em Crescentino na Itália, a primeira planta de etanol de segunda geração (2G), em escala comercial, no mundo. Sua capacidade de projeto é de 78.000m3 ano à partir de resíduos agrícolas (palhas de trigo e arroz) e biomassa local.

A tecnologia utilizada, denominada PROESA™, foi desenvolvida pela Biochemtex: braço de engenharia do grupo italiano Mossi Ghisolfi, que possui mais de 60 anos de história e tem na inovação tecnologica a chave de seu sucesso e crescimento. Hoje Mossi Ghisolfi é a segunda empresa quimica italiana em faturamento, com negócios no mundo todo, inclusive Brasil.

O processo contempla a utilização de muitas tecnologias inovadoras, mas o fascinante é a simplicidade das soluções adotadas. A planta é flexível em relação à biomassa, não utilizando produtos químicos no processo, realizando sacarificação enzimática e fermentação simultâneas (SSF).

A matéria completa você acompanha na edição 239 do JornalCana.

img9520

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X