fbpx

Etanol dispara e representa 81% do mix das unidades do Mato Grosso do Sul

Apesar de alto, percentual foi maior na safra passada

Foto: Divulgação/Biosul

O etanol representa 81% do mix das unidades produtoras do Mato Grosso do Sul associadas da Biosul.

Com esses 81% do mix, as unidades deverão produzir 3,2 bilhões de litros do biocombustível na safra de cana-de-açúcar 2019/20, iniciada em 1º de abril.

Qual foi a produção de etanol no ciclo anterior?

No ciclo anterior, a 18/19, as unidades associadas da Biosul produziram 3,27 bilhões de litros.

Como foi o mix da 18/19?

Na safra 18/19, o mix das unidades da Biosul foi 84% alcooleiro. E, como isso, o Mato Grosso do Sul tornou-se o terceiro maior estado produtor de etanol. Anteriormente, o estado ocupava a quarta posição.

O volume produzido atingiu 3,27 bilhões de litros do derivado da cana, representando um crescimento de 24,5% com relação à safra 2017/2018. Desse total, 2,4 bilhões de litros foram de hidratado [+40,2%] e 977 milhões de litros de anidro [-7%].

Como deve ser a moagem da safra 19/20?

A moagem da 19/20 para as unidades da Biosul conta com uma disponibilidade de 51 milhões de toneladas de cana. Na 18/19, as unidades processaram 49,5 milhões de toneladas de cana.

E a produção de açúcar?

Com o mix 81% alcooleiro, a produção de açúcar na 19/20 deverá corresponder a 1,1 milhão de toneladas.

E na 18/19?

Na 18/19, a produção de açúcar registrou queda de 33%, com 947 mil toneladas..

Para o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, o resultado da safra 18/19 é positivo e sinaliza uma reação do setor sucroenergético sul-mato-grossense. “Apesar do clima irregular característico do Estado, as unidades conseguiram recuperar o volume de produção que foi próximo de 50 milhões de toneladas, a nossa estimativa inicial”, afirma.

Bioeletricidade

A cogeração de bioeletricidade também teve expressividade no balanço de produção do setor sucroenergético do Estado, que é o maior exportador de energia por tonelada de cana.

Somente em 2018, foram exportados 2.586 GWh para o Sistema Interligado Nacional (SIN), um aumento de 3,5% com relação a 2017. O volume atenderia o consumo residencial de Mato Grosso do Sul durante o ano de 2017, que foi de 1.792 GWh.

De acordo com Hollanda, a bioeletricidade é um produto importante no mix do Estado. “Todas unidades em operação cogeram energia elétrica, dessas 12 exportam o excedente para o Sistema Interligado Nacional”, explica. Atualmente, a capacidade de produção instalada no Estado é de 1.200 MW.

O setor

Apesar da crise que marcou o setor nos últimos anos, Mato Grosso do Sul mantém 19 unidade em operação. Na safra 2018/2019 foram cerca de 716 mil hectares de área destinadas para o cultivo de cana-de-açúcar, sendo 648 mil hectares de área de colheita [+4,6].

A atividade canavieira está presente em 39 municípios, predominantemente na região do Cone Sul do Estado.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X