fbpx

WEG fornece pacote elétrico para usina de etanol de milho da Alcooad

Localizada no MT, a planta terá capacidade para produzir 225 milhões de litros do combustível por safra

Redução na emissão de gases do efeito estufa, aproveitamento dos subprodutos como insumos em outras cadeias produtivas e estímulo à produção de florestas são apenas alguns dos benefícios da produção de etanol a partir do milho, atividade que vem ganhando cada vez mais força no Brasil.

Líder na produção do cereal no país, a região do centro-oeste se destaca na atração de investimentos para esse segmento.

Localizada em Deciolândia (MT), a nova usina da Alcooad é um desses casos. Com capacidade de processamento de 525 mil toneladas de milho, a usina poderá produzir até 225,7 milhões de litros de etanol e 155,7 mil toneladas de farelo (DDGS) por safra, além de gerar até 42 mil MWh de energia por ano.

Para colocar tudo isso em atividade, a WEG foi a empresa selecionada para fornecer o pacote elétrico completo da usina, que engloba painéis elétricos de baixa e média tensão (foto), sistemas de automação, supervisão e controle, retificadores, banco de baterias, motores elétricos, transformadores e turbogerador. As soluções atuarão no sistema de automação, distribuição, controle e proteção da usina de etanol, além do sistema de controle e proteção da planta de geração de energia.

LEIA MAIS > Se faltar etanol, como fica o mercado de Cbios?

Em relação ao turbogerador, a Turbina TGM é de ação, de contra pressão, modelo TM5000, e Redutor de velocidade TGM sendo de eixos paralelos, e bi-helicoidal, modelo RTS 360, em conjunto com o gerador WEG modelo ST41, 6.375 kVA, 13.800 V, 1.800 rpm.

Um dos diferenciais da solução completa foi a utilização da expertise WEG em automação de processos para desenvolver um sistema de supervisão e controle com elevado nível de padronização dos CLPs (Controladores Lógicos Programáveis) e modularização do software aplicativo, resultando em uma solução com manutenção simplificada e flexibilidade para futuras expansões.

Além disso, o fornecimento do pacote elétrico completo representa mais segurança para o cliente, uma vez que a integração e a interface entre os equipamentos são feitas de maneira simplificada.

A automação desenvolvida para a planta atende ainda a aspectos da norma ISA101.2019 (Interface Homem Máquina de Alta Performance), que traz como principal resultado maior eficiência operacional, quando comparada a sistemas de supervisão convencionais.

Esta matéria faz parte da Edição 321 do JornalCana. Para conferir, clique AQUI.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

cinco + três =

X