fbpx

Volume de etanol hidratado negociado em agosto cresce

Vendas de anidro cresce 64,8% em relação ao mesmo período de 2019

Em agosto, o volume de etanol hidratado comercializado foi o maior da temporada 2020/21. Na comparação com julho, a elevação foi de 20,6%; porém, frente ao mesmo período de 2019, houve queda de 12,7%.

Segundo levantamento do Cepea, considerando-se as últimas quatro temporadas, a quantidade de agosto deste ano foi 42% menor que a de mesmo mês de 2018 e 14,4% abaixo da registrada no mesmo período de 2017. Por outro lado, o volume de hidratado negociado em agosto de 2020 está acima do mesmo período de 2016 (11%) e 2015 (10%).

No acumulado da temporada 2020/21 (de abril a agosto), o volume de etanol hidratado comercializado registrou forte queda de 43% frente ao mesmo período do ano-safra 2019/20. O que se deve principalmente à menor demanda, causada pela redução da mobilidade, devido à pandemia, que vem se estendendo desde março.

Quanto ao etanol anidro, por outro lado, a quantidade comercializada na modalidade spot (de abril a agosto deste ano) apresenta crescimento de 64,8% em relação ao mesmo período da temporada anterior.

“O principal responsável por esse aumento foi a queda no percentual de anidro negociado por meio de contratos, o que está relacionado à alteração da exigência de contratação específica para a safra 2020/21”, explica o instituto.

LEIA MAIS > Plantio de cana: saiba o que é preciso fazer antes do replantio para baixar os custos

Além disso, a demanda por anidro dos estados do Norte e Nordeste, no período de entressafra naquela região, foi suprida pelo produto do Centro-Sul, incluindo o estado de São Paulo.

Se acordo com o Cepea, quando se observa o volume comercializado de anidro no spot em agosto, a quantidade deste ano mais que dobrou em relação ao mesmo período de 2019.

Quanto aos preços, a média dos valores das semanas cheias do Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado foi de R$ 1,7184/litro em agosto, alta de 4,99% na comparação com as semanas cheias de julho. Para o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol anidro, o aumento foi de 5,08%, com média de R$ 1,9509/litro no spot.

Assim como em São Paulo e nos outros estados do Centro-Sul, os preços do etanol subiram nos principais estados produtores do Nordeste. A oferta limitada em função da entressafra na região Nordestina e os reajustes positivos nos preços da gasolina, efetuados pela Petrobras nas refinarias, sustentaram as cotações por mais um mês.

Na Paraíba, a nova safra avança desde julho, com preços firmes. O Indicador mensal do hidratado CEPEA/ESALQ da Paraíba subiu 2,56% em agosto frente a julho, fechando em R$ 1,8383/litro. O Indicador mensal do anidro foi de R$ 2,2768/litro, avanço de 4,62% frente ao mês anterior.

LEIA MAIS > Brasil aprova importação de 187 milhões de litros de etanol dos EUA

Em Pernambuco, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ do hidratado fechou em R$ 1,9063/litro em agosto, alta de 4,70% frente a julho. No caso do etanol anidro, como não foram observadas realizações durante o mês de agosto, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ não foi calculado. As usinas no estado seguem focadas, primeiramente, na produção e comercialização do açúcar e do etanol hidratado, segundo colaboradores do Cepea.

Para o Indicador mensal CEPEA/ESALQ do hidratado de Alagoas, o instituto avisa que não houve dados suficientes para compor uma média representativa no fechamento de agosto. Quanto ao etanol anidro, algumas poucas unidades produtoras anteciparam vendas do produto na última semana do mês, com entregas estendidas (durante o mês de setembro), assim que a moagem iniciasse.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

16 + cinco =

X