fbpx

Usinas investem em ‘alternativas’ para driblar crise

Raízen investiu cerca de R$ 230 milhões em sua planta
Raízen investiu cerca de R$ 230 milhões em sua planta

Diante da pior crise de sua história, os produtores decidiram arregaçar as mangas e buscar alternativas para contornar o revés em vez de aguardar mudanças políticas favoráveis ao setor. Dentre estas ações três se destacam: a construção de plantas para fabricação de etanol 2G. Três unidades de etanol celulósico estão em vias de iniciar suas produções.

Uma delas é a da Raízen, que constrói sua unidade em Piracicaba, SP, ao lado da Usina Costa Pinto. Com investimentos de R$ 230 milhões, a nova planta está prevista para entrar em operação ainda em 2014. “É o início de uma nova ruptura tecnológica, onde é possível produzir por hectare”, Pedro Mizutani, VP da Raízen.

Completam a lista a GranBio, com uma unidade em São Miguel dos Campos (AL), e CTC – Centro de Tecnologia Canavieira, que ao contrário das demais, aposta em usufruir a infraestrutura de uma usina convencional, direcionando seus investimentos na Usina São Manoel, no interior de SP.

A matéria completa você acompanha na edição 248 do JornalCana.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X