fbpx

Usinas do Mato Grosso do Sul adotam medidas preventivas ao coronavírus

Circulação dos funcionários entre as unidades será restrita

Hollanda: usinas observam grupos de risco mais vulneráveis ao vírus

Usinas do Mato Grosso do Sul adotam medidas preventivas ao coronavírus. As unidades se estruturam para reforçar pontos de higienização dentro das plantas e já fornecem orientações sobre sintomas, diagnóstico e tratamento do Covid-19 aos colaboradores. Comunicados internos foram emitidos com medidas restritivas para a circulação dos funcionários, viagens e cursos em ambiente fechado. Quem informa é o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho.

LEIA MAIS > Agrishow e eventos específicos do setor são adiados por conta da coronavírus

Para situação de casos suspeitos, as usinas seguem as recomendações do Ministério da Saúde. A orientação é buscar atendimento médico e isolamento de 14 dias em residência. “O primeiro passo é informar os colaboradores e acompanhar os grupos de riscos que são mais vulneráveis ao novo vírus. Nossas associadas estão atentas às recomendações da OMS e do Ministério da Saúde e acompanham a evolução dos casos suspeitos aqui no Estado”, afirma Hollanda.

LEIA MAIS > Açúcar: uma arma contra o coronavírus?

Cronograma de moagem não terá alteração 

O cronograma de moagem da cana-de-açúcar e produção de açúcar, etanol e bioeletricidade seguem sem alteração em Mato Grosso do Sul, com encerramento da safra 2019/20 no dia 31 de março. “Até o momento são adotadas medidas preventivas para que a saúde dos colaboradores seja preservada e as atividades sigam no ritmo planejado”, completa Hollanda.

LEIA MAIS > Como o coronavírus causa impactos no mercado de açúcar

Mesmo com duas geadas e tempo seco, as usinas de cana-de-açúcar do Mato Grosso do Sul moeram 44,2 milhões de toneladas até 31/12. Segundo a Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), o montante representa queda de 4% ante a moagem do ciclo 2019/20. Em 2019, a colheita da cana se manteve adiantada e a desaceleração da moagem no mês de dezembro, de acordo com o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, é reflexo do comportamento atípico do clima no Estado. A atualização da estimativa para a safra 2019/2020 ainda será analisada pela Associação, que já previu uma redução de 2 milhões de toneladas por conta das geadas.

LEIA MAIS > Variedade de cana produz biopesticida natural contra a principal praga da cultura

Etanol, Açúcar e Bioeletricidade

De abril a dezembro, a produção de etanol somou 3,1 bilhões de litros, volume 1,8% acima com relação ao mesmo período da safra passada. Desse montante, 2,5 bilhões de litros são de etanol hidratado (+7%) e 637 milhões de litros são de etanol anidro (-15%). A produção do açúcar permanece abaixo do ciclo passado. De acordo com os dados da Biosul, foram produzidos 724 milhões de toneladas do alimento, uma diferença de 21%. De janeiro a outubro de 2019, o excedente de bioeletricidade cogerada a partir do bagaço da cana-de-açúcar em Mato Grosso do Sul somou 2.262 GWh (Gigawatt-hora). A quantidade é 2,7% maior que o excedente cogerado nas usinas no mesmo período do ano anterior, quando foi de 2.202 GWh.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X