fbpx

Usinas de Alta Performance Agrícola apresenta cases e informações estratégicas

Participantes lotaram o Auditório Zanini na quarta-feira (21/08)

O Auditório Zanini, em Sertãozinho (SP), ficou lotado na tarde de quarta-feira (21/08) para a realização do 3º Usinas de Alta Performance Agrícola (UAP).

Acionistas, executivos, gestores e demais profissionais das Áreas Agrícola e Mecanização das usinas, destilarias e produtores de cana conheceram seis cases de usinas eficientes.

E, além dos cases, quem participou do UAP soube em primeira mão informações estratégicas de usinas top.

“O UAP consolida-se como evento de conteúdo 100% prioritário para os profissionais do setor sucroenergético”, afirma Josias Messias, presidente da ProCana Brasil.

O evento integra a programação oficial da FENASUCRO & AGROCANA, que prossegue até nesta sexta-feira (23/08) no Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho (SP).

JornalCana lista a seguir alguns desses destaques apresentados durante as palestras:

 

  • Etanol de milho da Cerradinho Bio 

Renato Ortiz de Castro, supervisor de tecnologia agrícola, preparo de solo e plantio da Cerradinho Bio, relatou que a planta de etanol de milho, a ser inaugurada nas próximas semanas em Chapadão do Céu (GO), consumirá 550 mil toneladas de milho para produzir mais de 230 mil metros cúbicos de etanol.

  • USJ mantém 89 de TCH

José Marcos Fini, gerente de processos agrícolas da USJ Araras, destaca que investimentos em manejo fazem a unidade ter produtividade média de 89 de TCH.

Isso com metade do canavial ‘envelhecido’, com 4,3 cortes.

  • Tereos investe desde 2010 em Agricultura de Precisão 

José Olavo Vendramini, gerente executivo de tecnologia agrícola da Tereos Açúcar & Energia Brasil, conta que a empresa investe desde 2010 em Agricultura de Precisão, com taxa variada, Vant e piloto automático.

Outro investimento prioritário é o Monitoramento Climático, com estações e informações com previsões para tomar decisões de cana para até um ano a frente.

  • Bevap opera com cana de 11 cortes

Na média, o canavial está com 5 cortes. Mas há cana com 11 cortes e que resulta TCH de 122.

“A cana é velha, mas não dá para jogar fora cana com essa produtividade”, diz Hermes Augusto Guimarães Arantes, gerente de divisão agrícola da Bevap.

 

Planejamento garante produtividade

 

  • Denusa investe em planejamento

Pedro Abraão Barbosa, gerente agrícola da Destilaria Nova União (Denusa), destacou, em sua apresentação, que os gestores apostam no planejamento para obter ganhos de eficiência.

A usina fez planejamento junto com o IAC e saiu de 49 TCH em 2009 para 89 TCH em 2018. E deve fechar com 97 TCH em 2019.

  • Usina Guaíra mantém TCH de 95

Mateus Sebastião Gonçalves da Silva, engenheiro agrônomo da Usina Guaíra, destaca que o manejo agrícola resulta em TCH de 95.

Segundo ele, a adubação formulada é injetada em 22 dos 36 mil hectares canavieiros operados pela unidade.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X