fbpx

Usinas da Raízen reduziram consumo de água em 50%. E pretendem diminuir ainda mais

Entenda como a companhia consegue esse resultado

Foto: Divulgação

Nos últimos 8 anos, as unidades produtoras da Raízen Energia S. A. reduziram em 50% o consumo de água.

Significa uma captação de 4,5 bilhões de litros a menos, em números absolutos, na comparação com a safra anterior.

Representa, também, o consumo anual de água de uma cidade com 113 mil habitantes.

Isso levando em conta a recomendação da ONU de 110 litros/dia por habitantes.

A economia de água atesta real redução de efluentes líquidos. E gera, assim, maior contribuição ambiental.

As informações acima são da assessoria da Raízen.

Mas como a companhia consegue esses resultados?

Leia também:

Das usinas na reta final de certificação no RenovaBio, 10% ficam no Norte e Nordeste

Usinas da Raízen: programa de captação

O principal responsável pela redução no consumo de água é o ReduZa.

Trata-se de programa criado pela Raízen com foco na captação reduzida do consumo de água de fontes externas.

Na safra 2019/20, a assessoria da Raízen destaca que todas as unidades em operação da empresa registraram 0,76 metro cúbico (m3) de água captada por tonelada de cana moída.

Ao JornalCana a Raízen atesta, por meio da assessoria, que todas as unidades industriais da empresa integram o ReduZa.

E a redução de captação de água tende a seguir em queda?

Conforme a empresa, sim.

A expectativa é de uma redução entre 2 a 5% na safra 2020/21.

Ganho em geração de eletricidade

A Raízen também destaca ganho em maior produção de energia elétrica.

Isso ocorre por conta do reaproveitamento de águas quentes geradas pelas caldeiras das usinas.

Com isso, foi responsável por gerar uma quantidade adicional de energia elétrica sustentável, obtida pela queima do bagaço da cana-de-açúcar de 307 mil MWh.

Corresponde, conforme a Raízen, ao consumo de uma cidade com 120 mil habitantes durante um ano (referência de 2.553 kWh por habitante).

A Raízen controla 26 unidades de produção de açúcar, etanol e bioenergia — e uma planta de etanol 2G.

A capacidade instalada para moagem é de 73 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Essa matéria-prima pode produzir cerca de 2,5 bilhões de litros de etanol por ano e 4,2 milhões de toneladas de açúcar.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

doze − seis =

X