fbpx
JornalCana

Usina Diana reduz custos elevando ciclo de concentração das caldeiras e recuperando o condensado

Inovações tecnológicas e práticas sustentáveis na gestão de caldeiras resultam em economia significativa e eficiência operacional

Diana Bioenergia elevou o ciclo de concentração das caldeiras, recuperar o condensado e economizar em produtos químicos usados no tratamento de águas

Um dos principais objetivos da Usina Diana na última safra foi cumprido. Elevar o ciclo de concentração das caldeiras, recuperar o condensado e economizar em produtos químicos usados no tratamento de águas. Isso não apenas melhorou a eficiência da produção, mas também contribui significativamente para a redução dos custos industriais. Um case de sucesso reconhecido na categoria GERAÇÃO DE VAPOR – Tecnologia & Inovação do Prêmio MasterCana Award & Brasil 2023.

LEIA MAIS > Gerente industrial do Ingenio La Cabana revela estratégias de eficiência energética no 21º SINATUB INTERNACIONAL

David Fernando de Britto, coordenador de Manutenção Industrial

A estabilidade dos parâmetros de água de make-up, por exemplo, foi alcançada através da instalação de um sistema de abrandamento. Esse sistema, combinado com a manutenção e otimização da abertura das purgas de fundo e contínua, estão garantindo um processo mais estável e eficiente. David Fernando de Britto, coordenador de Manutenção Industrial, destaca: “Nosso compromisso é com a eficiência e a sustentabilidade. Trabalhamos incessantemente para aprimorar nossos processos e obter os melhores resultados”.

INSCREVA-SE JÁ: www.sinatub.com.br

De acordo com José Donizete de Souza, supervisor de Geração de Vapor, a recuperação de condensado tem sido fundamental. “Realizamos manutenções específicas para diminuir perdas, garantindo assim um retorno mais eficiente e econômico”. O acompanhamento crítico dos sistemas pela operação e coordenação industrial também tem sido crucial para a tomada de ações preventivas e corretivas imediatas. Isso se alia à otimização do programa de tratamento químico, onde novas tecnologias foram adotadas. O treinamento e o acompanhamento durante a safra foram etapas essenciais para o sucesso do projeto.

José Donizete de Souza, supervisor de Geração de Vapor durante o MasterCana Brasil & Award

Além disso, o ciclo de concentração da água das caldeiras aumentou de uma média de 22 ciclos na safra 2021/22 para impressionantes 55 ciclos na safra 2022/23. Essa melhoria foi possível devido à boa estabilidade no retorno de condensado, pureza da água de alimentação e excelente controle na estação de pré-tratamento de água e no tratamento químico. “Além do aumento de ciclos na água das caldeiras, conseguimos recuperar 9,3 toneladas/hora de condensado. Isso elevou nosso retorno de condensado de 86% para 92% entre as safras de 2021 e 2022”, comenta Britto.

Produção mais sustentável, econômica e eficiente

De acordo com as recomendações da Norma ASME, o ciclo máximo recomendado é de 100, o que significa uma purga de apenas 1% em relação à produção de vapor das caldeiras. A Usina Diana, sempre focada em aderir aos padrões internacionais, utiliza essa norma como referência para suas operações.

O trabalho de aumento do ciclo de concentração na Usina Diana é baseado na manutenção das vazões de descarga contínua e na aplicação de descarga de fundo com baixa frequência, sempre alinhado ao controle analítico via laboratório da unidade industrial. “Estamos no caminho certo para garantir uma produção mais sustentável, econômica e eficiente. A otimização energética é o nosso futuro, e a Usina Diana está pronta para liderar essa revolução”, finaliza Britto, que juntamente com o profissional José Donizete de Souza, supervisor de Geração de Vapor apresentará os detalhes desse case de sucesso durante o 21º SINATUB INTERNACIONAL – Caldeiras, Vapor, Energia e Biogás marcado para o dia 8 de novembro de 2023, no Centro de Convenções Ribeirão Preto (SP).

INSCREVA-SE JÁ: www.sinatub.com.br

O SINATUB deste ano enfoca a “Eficiência Energética para a Máxima Produção de Açúcar, Etanol e Exportação de Energia”, proporcionando uma plataforma para discutir avanços tecnológicos na geração e consumo de vapor e energia elétrica. A agenda está repleta de palestras que vão desde a otimização energética até a bioeletricidade no Brasil, apresentadas por líderes industriais e especialistas na área:

– Desafios e Oportunidades da Bioeletricidade no Brasil

Newton Duarte, VP Executivo na Cogen Associação da Indústria de Cogeração de Energia

– Busca por Eficiência em Sistemas de Cogeração Existentes

German Atilio Molina Ortiz, gerente industrial do Ingenio La Cabana – El Salvador

– Case Pitangueiras – Maior Exportação de Energia com uso de Biomassa

Claudemir Leonardo, diretor agroindustrial da Usina Pitangueiras

– Case Diana – Otimização Energética dos Sistemas de Geração de Vapor

David Fernando de Britto, coordenador de Manutenção Industrial e José Donizete de Souza, supervisor de Geração de Vapor

– Otimização em Tempo Real da Geração de Vapor, Energia e Balanço Térmico

Douglas Mariani, engenheiro químico e consultor da Soteica

– Case Tereos – Geração de Bioeleletricidade e Biometano a Partir do Biogás

Enéas Cordeiro, Plant Manager

– Momento Patrocinador – Drul

– Momento Patrocinador – Veolia

No dia seguinte, 9 de novembro, acontece o 21º SINATUB INTERNACIONAL – Extração & Manutenção Industrial com informações relevantes e casos de inovações tecnológicas e melhorias operacionais nas áreas de Recepção, Preparo, Extração (Moenda ou Difusor) e Manutenção Industrial. O painel desse dia conta com:

Manhã – Extração

– Case São Domingos – Alta Performance em Preparo de Cana

Franciel Ribeiro da Silva, coordenador de Manutenção Industrial da Usina São Domingos

– Case Vertente – Aumento da performance de extração e maior moagem, sem grandes investimentos

Flávio Montanheiro, gestor de Extração e Utilidades

– Algoritmos Inteligentes Voltados para a Máxima Extração e Aproveitamento do ART em Difusores e Moendas

Douglas Mariani, engenheiro químico e consultor da Soteica

Tarde – Manutenção

– Case Cocal – Implementação de Tecnologias 4.0 visando a Inovação e Resultados Sustentáveis na Gestão de Ativos

Hernandes Rosa Junior, gerente de Manutenção Industrial

– Case Lins – Manutenção Preditiva: Inovações no Processo de Medição de Espessura

Marcos Pinatti, gerente de Manutenção e Energia

– Case – Evolução na Gestão de Ativos no Grupo Santa Adélia

Renan Rodrigues Ponte, engenheiro de manutenção

Para mais informações e inscrições acesse: www.sinatub.com.br

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram