fbpx
JornalCana

Usina de cana é autorizada a reduzir potência de termelétrica

Bagaço de cana: fonte para a produção de eletricidade da Da Mata
Bagaço de cana: fonte para a produção de eletricidade da Da Mata

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a companhia sucroenergética Da Mata S. A. – Açúcar e Álcool a alterar a potência instalada de sua controlada Usina Termelétrica Da Mata.

Segundo a decisão, a termelétrica, localizada em anexo à unidade de cana, no município de Valparaíso (SP), reduzirá a potência de 70 megawatts (MW) para 40 MW.

Os 40 MW integram a potência original da termelétrica. O acréscimo de 30 MW foi autorizado pela Aneel em 2015.

Reive Barros dos Santos, da Superintendência de Concessões e Autorizações de Cogeração da Aneel, explica que a companhia sucroenergética pediu formalmente a redução da potência porque a energia da unidade geradora 2 (de 30 MW) não foi comercializada em contratos.

Conforme Santos, “não foram encontrados registros de inadimplências em nome da interessada, ou dos integrantes de sua cadeia societária, nos sistemas de controle das áreas de fiscalização da Aneel.”

A autorização para alterar a potência foi assinada na terça-feira (05/07) pelo diretor-geral da Aneel, Romeu Donizeti Rufino.

Assim, a UTE da Mata passa a ser composta por uma subestação elevadora de tensões 13,8 / 138 kV, com capacidade de 25 / 31,25 MVA e por uma linha de transmissão com aproximadamente 18 km, em circuito simples, de 138 kV, conectando-se à SE UTE da MATA CPFL, sob responsabilidade da empresa CPFL Paulista.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram