fbpx
JornalCana

Usina Coruripe e Rumo inauguram terminal para movimentação de açúcar

Localizada em Iturama – MG, unidade transbordo inicia a logística do alimento pela ferrovia Norte-Sul

A Usina Coruripe e a Rumo inauguram hoje, dia 9 de junho, o terminal rodoferroviário Comendador Rubem Montenegro Wanderley, em Iturama -MG.

Com investimentos de R$ 95 milhões por parte da Usina Coruripe, trata-se de uma unidade moderna de transbordo rodoferroviário conectada ao trecho da Ferrovia Norte-Sul sob concessão da Rumo (batizado pela empresa de Malha Central).

O terminal tem capacidade para movimentar 2 milhões de toneladas de açúcar de exportação (VHP) por ano e representa um marco estratégico para a logística da região do Triângulo Mineiro.

Com a geração de cerca de 350 empregos diretos na região —sendo 300 pessoas contratadas para a construção e outras 50 para a efetiva operação do terminal—, a nova unidade opera dentro de uma das unidades da Coruripe (Km 15 da Rodovia BR-497, s/n, Zona Rural de Iturama).

Na avaliação do presidente da Usina Coruripe, Mario Lorencatto, o terminal representa uma nova era tanto para a companhia quanto para toda a região, em função da importante contribuição para a logística ferroviária do país.

LEIA MAIS > Senado aprova MP sobre venda direta de etanol
Deputado José Vítor, Mario Lorencatto, presidente da Usina Coruripe, Marcelo Sampaio, ministro da Infraestrutura, João Alberto Abreu, CEO da Rumo, e Fernando Marcato, secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade Urbana de Minas Gerais

“Nossas expectativas são muito positivas, visto que a nova unidade tem potencial para que diversas empresas da região realizem o escoamento da produção com competitividade, segurança, grandes volumes e constância nesse modal ferroviário”, afirma.

Lorencatto também destaca as melhores práticas de segurança e sustentabilidade do novo terminal, que já nasce alinhado aos pilares de ESG da companhia.

“Esperamos contribuir com o desenvolvimento da produção regional de açúcar e trazer mais facilidades a clientes e consumidores, além de gerar novos postos de trabalho. Esse investimento, apoiado pela Funchal e BTG Agro Logística, demonstra o compromisso socioeconômico da nossa empresa com a região”, ressalta o presidente da Coruripe.

O vice-presidente comercial da Rumo, Pedro Palma, considera que o terminal em Iturama tem localização altamente estratégica, levando-se em conta a grande produção de açúcar na região –até agora, a logística era pouco favorável e dependente do modal rodoviário. Com o novo terminal, o fluxo de operação será otimizado.

Mario Lorencatto
LEIA MAIS > Goiás Bioenergia inicia operação e projeta moagem de 2 milhões de toneladas em 2026

“Dentro da estratégia da Rumo, a Malha Central havia aberto novos mercados para a empresa, como Goiás, Tocantins e, agora, com Iturama, entra o Triângulo Mineiro, aumentando a abrangência geográfica da ferrovia”, afirma Palma.

“Os terminais inaugurados no ano passado em São Simão e Rio Verde, em Goiás, movimentam soja, milho e farelo de soja. O de Iturama é um marco para a Malha Central, inaugurando nossa operação no mercado de açúcar nessa ferrovia.”

Bandeira branca, o novo terminal atenderá, além do volume da Usina Coruripe, outras empresas interessadas na logística ferroviária. Será operado em regime de pool, o que reduz custos e eleva a produtividade do transporte. O gerenciamento da infraestrutura será feito pela Usina Coruripe, cabendo à Rumo o transporte ferroviário até o Porto de Santos.

LEIA MAIS > VW é pioneira no setor automotivo a utilizar biometano na produção

O terminal

O terminal Comendador Rubem Montenegro Wanderley assegura competitividade nos fretes para todo o setor num raio entre 400 e 500 quilômetros. Com isso, vai atender todo o Triângulo Mineiro e as usinas do sul de Goiás. “A eficiência operacional é o principal diferencial da unidade, que conta com uma área total de 20 hectares”, afirma a usina.

A estrutura moderna e altamente produtiva inclui uma pera ferroviária para agilizar o processo de carregamento, dois tombadores, um armazém de 45 mil toneladas de capacidade estática e uma tulha de carregamento de 1.500 toneladas por hora, com potencial para carregar três trens por dia de forma ágil e eficiente.

Já na parte de recepção rodoviária, a capacidade prevista é de quase 300 caminhões por dia. Considerando cada caminhão carregado com 35 toneladas, o terminal poderá receber 10 mil toneladas por dia.

LEIA MAIS > Ricardo Mussa assume presidência do Conselho de Administração da Fundação Raízen

“O terminal em Iturama é mais uma parceria de sucesso que firmamos com a Usina Coruripe, com quem já operamos um terminal ferroviário em Fernandópolis”, diz Pedro Palma.

“Há um imenso potencial na região. Nossos mapeamentos comerciais indicam que mais de 20 usinas próximas ao terminal serão beneficiadas por essa nova opção logística.”

O terminal iniciou a fase de testes em maio e a operação com a capacidade total será a partir deste mês. Estima-se a saída de 15 trens por mês, de Iturama em direção ao Porto de Santos, durante o pico da safra entre junho e outubro.

Fotos créditos: Usina Coruripe – João Neto

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram