fbpx

TGM faz estudo de viabilidade através do balanço térmico

img621

Para implantação do ciclo regenerativo, antes é realizado um estudo de viabilidade através do balanço térmico. “É a especificação em conjunto com o fornecedor de turbina e caldeira que garantirá a eficiência esperada desta configuração. Neste quesito não há uma fórmula padrão, apenas estudos individuais e específicos determinarão a melhor solução para a planta”, lembra José Paulo Figueiredo, diretor de engenharia do Grupo TGM.

Com uma equipe capacitada, Figueiredo relata que a TGM está preparada para a implantação de ciclos regenerativos. “Nossa equipe de engenharia de soluções realiza estudos de balanços térmicos das plantas através de análises detalhadas de toda a cadeia de produção, fundamentada nos fluxos de energia, e ferramentas especiais de cálculo de ciclo. A partir destes estudos a empresa enumera as quantidades consumidas pelos equipamentos e apresenta as equações de todas as perdas energéticas, com foco na maior eficiência do ciclo conciliada ao ganho energético”, diz.

Ciclo regenerativo e a geração de energia – Segundo a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, o consumo de energia pelas indústrias em 2010 foi de 88 TWh e crescerá 75% em 10 anos. Em contrapartida, o aumento da cogeração será de 110% no mesmo período.

Para o diretor comercial do Grupo TGM, Antonio Gilberto Gallati, com o assunto geração de energia no centro das discussões mundiais a contribuição do ciclo regenerativo é importante. “Somos um dos líderes globais na produção de eletricidade através da biomassa e o segundo maior produtor de etanol, no entanto o setor precisa de constante aperfeiçoamento para transformar este potencial em energia”, afirma.

Um indicador que ilustra esta colocação é a estimativa da Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, de que a potência de geração do setor sucroenergético saltaria de 20 mil GW para 39 mil apenas com a renovação dos equipamentos. “As turbinas TGM em operação geram em MW/h número suficiente para abastecer aproximadamente 8 milhões de residências. Com o ciclo regenerativo a economia de combustível gira em torno de 10 a 15%, resultando em um aumento de geração de vapor na mesma ordem. Já o ganho de energia elétrica é de 3 a 7%”, relata Gallati.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X