fbpx

Tecnologia e inovação conferem título a gestor executivo da Usina Bevap

Fábio André Ramos, venceu pelo segundo ano consecutivo

O gestor executivo da Usina Bevap, Fábio André Ramos, venceu pelo segundo ano consecutivo, o prêmio Executivo do Ano 2020 na categoria de Agronegócios e Serviços Relacionados promovido pela IT Mídia. O profissional foi reconhecido publicamente com o prêmio durante cerimonia realizada dia 18 de março em São Paulo (SP).

Ramos afirma que o prêmio é resultado do trabalho em equipe, colaboração e integração das áreas de negócio, contando com um elevado nível de maturidade da empresa, da gestão, apoio e direcionamento estratégico do CEO da empresa. “A tecnologia e a inovação estão em nosso DNA”, diz Ramos, e nos posiciona como referência em tecnologia e inovação entre as usinas do país.

O executivo comenta que no segmento de commodities os custos, a produtividade e eficiência são determinantes para a competitividade e sobrevivência das empresas. “Os preços são ditados pelo mercado — oferta e demanda — e a produção suscetível a intempéries ambientais, impactos externos como mercado internacional, politica e flutuação do câmbio, neste mercado de menos custos, maior eficiência e produtividade são fatores decisivos para sustentar o crescimento da empresa e distribuir resultados satisfatórios para os acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores e parceiros. “Nós só conseguiremos alcançar esses resultados trazendo inovação e tecnologia para o agronegócio, otimizando processos, operações e aumentando a produtividade com redução de custos.”

Tecnologia eleva processo ao nível da excelência

Natural de Piracicaba (SP), Ramos atua há mais de 13 anos no setor de bioenergia e está há seis anos na Bevap. “Trabalhamos determinados a transformar, mudar os processos e as operações para elevá-las ao nível de excelência”. Entre todos os projetos de 2019 a automação dos processos de plantio e tratos culturais foi o case com maior destaque na empresa. “Essas operações compõe um custo muito elevado no processo produtivo da cana, pois os insumos (fertilizantes, agroquímicos/defensivos) são extremamente caros e a eficiência e controle assertivos e com qualidade nessa fase do processo de produção trás ganhos expressivos. O projeto TPL tem como objetivo reduzir e controlar o consumo dos insumos (fertilizantes, agroquímicos/defensivos) através de uma aplicação assertiva e controlada de forma automatizada evitando e desperdício, falhas nas aplicações e controle. Todo processo é monitorado on-line pelo COA”, explica.

Maior desafio está na mudança de cultura

O executivo acrescenta que um dos maiores desafios nas implantações de novas tecnologias é a mudança da cultura em todos os envolvidos no projeto, e diz que a garantia do sucesso está no trabalho em equipe, comprometimento da gestão e alinhamento com a área de negócio. “A sinergia entre a área de tecnologia e a área de negócio é determinante para o sucesso do projeto. O projeto implementado traz um conceito disruptivo para essa atividade, aliada a inteligência artificial, IoT, M2M, Machine Learn e Cloud. O conjunto delas, aplicadas ao negócio, proporcionou redução de custos, aumento de produtividade e eficiência. Todas as operações foram automatizadas, permitindo uma aplicação adequada e controlada com o uso de automação e monitoramento online para acompanhamento e tomada de decisão em tempo de execução”, conta.

“A sinergia entre a área de tecnologia e a área de negócio é determinante para o sucesso do projeto. O projeto implementado traz um conceito disruptivo para essa atividade, aliada a inteligência artificial, IoT, M2M, Machine Learn e Cloud. O conjunto delas, aplicadas ao negócio, proporcionou redução de custos, aumento de produtividade e eficiência”

Expansão da agricultura 4.0

Ramos explica que nesse projeto contou com uma empresa parceira provedora de soluções tecnológicas e computadores de bordo que viabilizaram o projeto. “Não existe dúvidas que, os desafios postos à agricultura somente serão superados com a adoção de tecnologia e inovação”, reitera. Essas tecnologias deverão garantir aumento de produtividade, eficiência e menor custo de produção garantindo o futuro de todos de maneira segura e sustentável para a usina. “A inovação e tecnologia ainda têm grandes desafios a serem superados pelo agronegócio, por exemplo, conectividade no campo, infraestrutura adequada, políticas, regulamentação e incentivo aos novos processos tecnológicos estão entre os desafios da expansão da agricultura 4.0 no Brasil”, finaliza.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dezenove + 5 =

X