JornalCana

Superavit no agro paulista totaliza US$ 14,4 bilhões no acumulado de 2023

Resultado da Balança Comercial Paulista em 8 meses foi de 6,9% superior a 2022

Dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, mostram numa análise setorial do agronegócio, o resultado de janeiro a agosto de 2023, foi 6,9% superior em relação ao mesmo período do ano passado.

Isso significa que houve um aumento de 5,6% nas exportações, alcançando US$17,84 bilhões, e 0,6% nas importações, totalizando US$3,44 bilhões.

No total do Estado de São Paulo (somando todos os setores da economia), as exportações de produtos agrícolas do Estado de São Paulo são de 39,1%, enquanto a participação das importações é de 7,1%.

LEIA MAIS > Especialistas debatem estratégias para impulsionar a transição energética na aviação

A participação do agronegócio paulista no agronegócio nacional, nos oito meses de 2023, se destacou nos seguintes grupos de produtos, cuja participação em valores ultrapassa 50% do total nacional: sucos (84,6%), produtos alimentícios diversos (75,4%), plantas vivas e produtos de floricultura (67,6%), complexo sucroalcooleiro (63,4%) e demais produtos de origem vegetal (63,3%).

As exportações paulistas sobressaem dos demais setores da economia, exclusive o agronegócio, com a soma de US$ 27,80 bilhões, e as importações, US$ 45,31 bilhões, gerando um deficit externo desse agregado de US$17,51 bilhões. Mas, pode-se concluir que esse saldo negativo t do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho dos negócios agrícolas no estadual, cujo saldo se manteve positivo, na faixa de US$ 14,40 bilhões.

Para o agronegócio, as exportações setoriais de São Paulo no período analisado, representaram 15,8% em relação ao agronegócio brasileiro, alta de 0,2p.p. ante ao mesmo período de 2022; já as importações tiveram aumento (0,5p.p.), passando de 30,3% para 30,8%.

LEIA MAIS >Diesel aumenta mais de 11% e inicia setembro acima de R$ 6, preço médio mais caro no ano

Exportações paulistas por grupos de produtos

Nos primeiros 8 meses deste ano, comparando a 2022, houve importantes variações nos valores exportados dos principais grupos de produtos da pauta paulista, com aumentos para os grupos complexo sucroalcooleiro (+25,9%), de sucos (+16,4%) e florestais (+1,0%), e queda nos grupos de carnes (-25,8%), café (-10,0%) e complexo soja (-3,6%). Essas variações nas receitas do comércio exterior são derivadas da composição das oscilações tanto de preços como de volumes exportados.

Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio paulista no acumulado de janeiro a agosto de 2023 foram: complexo sucroalcooleiro (US$6,09 bilhões, sendo que desse total o açúcar representou 87,5% e o álcool etílico etanol, 12,5%); o complexo soja (US$ 3 bilhões, tendo ela em grão 84,5% de participação); o setor de carnes (US$2,01 bilhões, em que a bovina respondeu por 80,9%); produtos florestais (US$1,78 bilhão, com 50,5% de celulose e 41,5% de papel) e o grupo de sucos (US$1,33 bilhão, dos quais 97,4% referentes ao de laranja).

Esses cinco agregados representaram 79,6% das vendas externas por setor no Estado. Já o grupo de café, tradicional nas exportações, aparece na sexta posição, com vendas de US$631,47 milhões (68,1% referentes ao verde e 24,5% de solúvel).

LEIA MAIS > Operação inédita de exportação de açúcar pelo Porto de Cabedelo deve acontecer nos próximos dias

Exportações dos principais produtos paulistas

No mesmo período foram analisados os dados de valor e volume exportados dos principais produtos dos grupos mais relevantes no Estado, entre eles, o sucroalcooleiro é o que apresenta a maior participação (34,1%), uma elevação de 25,9% em valores e 6,6% em volumes de vendas externas, acompanhando o comportamento do açúcar (+30,1% em valores e 6,3% em volume), o principal produto, com destaque para a valorização de 21,9% no preço médio da commodity no período.

Já para o etanol, os embarques apresentaram elevações de 11,2% em volume e de 2,5% em valores. Os resultados apontam como principais compradores: China (9,8%), Nigéria (7,1%), Marrocos (6,7%), Índia (5,5%), Bangladesh e Arábia Saudita (5,4%, cada um), União Europeia (5,2), Coreia do Sul (5,1%) e Argélia (4,9%); os demais países 44,9%.

O setor complexo soja teve desempenho positivo e ficou na segunda posição, com elevação nos embarques (+8,4%) e queda em valores (-3,6%). O grão, principal produto, apresentou variação negativa de valores (-5,4%), mas com aumento em volumes (+6,4%), em comparados ao mesmo período de 2022. A China (66,9%) é o principal destino em termos de participação de valores, seguida de Tailândia (5,5%), Irã (5,2%), Indonésia (3,8%) e Argentina (3,3%); os demais importadores somam 13,3%.

LEIA MAIS > Safra do Centro-Sul deve ser maior do que o previsto

Importações do agronegócio paulista

Os principais produtos de importação do agronegócio paulista no acumulado de janeiro a agosto de 2023 foram: papel (US$270,00 milhões), seguido de salmões (US$259,31 milhões) e trigo (US$227,35 milhões).

Balança comercial geral e do agro do brasil

A balança comercial brasileira registrou superavit de US$62,41 bilhões de janeiro a agosto de 2023, com exportações de US$224,58 bilhões e importações de US$162,17 bilhões. Esse resultado apresenta aumento de 42,7% no superavit em relação ao mesmo período de 2022, quando alcançou US$43,72 bilhões.

Na análise setorial, as exportações do agronegócio brasileiro no acumulado de janeiro a agosto de 2023 apresentaram aumento (4,2%) em relação a igual período de 2022, alcançando US$112,68 bilhões (50,2% do total nacional). Já as importações tiveram queda em 1,0% no período, registrando US$11,17 bilhões (6,9% do total nacional).

O superavit do agronegócio chegou a US$101,51 bilhões no período, sendo 4,8% superior na comparação com o acumulado do período de janeiro a agosto de 2022.

LEIA MAIS > Brasileiros são homenageados durante congresso na Costa Rica

Participação do estado de São Paulo no Brasil

A participação paulista no total da balança comercial brasileira (todos os setores da economia) apresentou estabilidade nas exportações e incremento de 0,2 ponto percentual nas importações no acumulado de janeiro a agosto de 2023, apontando valores de 20,3% nas exportações e de 30,1% de representatividade para as importações.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram