fbpx

Sucronor e ForInd NE atingem a expectativa dos expositores

No último dia da Forind NE e Sucronor, a satisfação dos expositores com os resultados positivos das duas Feiras é prova que os eventos atingiram seus propósitos de aproximar compradores e fornecedores, ampliar o networking dos participantes, apresentar as novidades do setor industrial e sucroenergético e, o mais importante, gerar negócios.

“Ficamos surpresos com o volume de vendas feitas aqui”, comemora o gerente corporativo de mercado industrial da Marcosa Rental, Hermann Macêdo. A qualidade do público presente foi uma dos fatores responsáveis pelo bom resultado. “A feira possui um foco bem interessante na compra e venda. E as pessoas que vem aqui tem poder de compra”. A empresa montou um esquema de atendimento diferenciado, no qual consultores de diversas áreas estavam sempre presentes no estande explicando as características dos produtos oferecidos. “Conseguimos divulgar bastante a nossa linha industrial, ainda um pouco desconhecida”, diz.

A ocorrência, em simultâneo, da ForInd NE e Sucronor chamou a atenção do gerente da unidade de máquinas da Randon Nordeste, Fernando Susin. “Essa associação diversifica o público e dá corpo à feira”, pontua Susin. A empresa, que atua tanto na área agrícola quanto na de construção, encontrou o terreno perfeito para divulgar o portfólio de serviços. “Fizemos vários contatos com potenciais clientes, estreitamos os laços com os antigos e ainda vendemos a retroescavadeira que estava em exposição no estande”, ressaltou.

Relacionamento foi o que atraiu a Águia, que representa diversas marcas de equipamentos para usinas, participantes dos eventos pelo segundo ano. “As duas feiras conseguem reunir profissionais de alto escalão, como diretores de usinas, pessoas que você não encontra facilmente”, assinala o gerente de bioenergia da Renk Zanini, Antônio Barros, uma das empresas representadas pela Águia. Para ele, a qualidade do público presente favorece a geração de negócios e a fidelização dos clientes. “Alguns usineiros do Nordeste estão erguendo plantas no Centro-Sul. Assim, a feira é um importante espaço para estreitar laços e fazer com que eles se lembrem de nós em seus novos empreendimentos”, pontua. Outro fator a ser levado em consideração são as trocas de informações com outros profissionais. “Aqui temos a oportunidade de entender melhor o mercado”, resume Barros.

Para o engenheiro agrônomo e representante de vendas da Syngenta, Paulo Padilha, a ForInd NE e a Sucronor ocorrem num momento ímpar na economia do estado. “As feiras também funcionam como termômetro, pois acontecem no período em que as usinas estão planejando a safra 2010/2011, então é possível saber quais são as expectativas do setor”. Para ele, o fato do Nordeste abrigar os dois eventos é de extrema importância. “A região representa 20% do mercado brasileiro, em área, e 15% em venda. Circulando pela feira percebi que o clima é de otimismo, todo mundo falando em plantar mais. Eu também estou otimista e vou voltar no próximo ano”, diz Padilha.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X