fbpx

Simtec 2009 – Ex-ministro prevê boom do carro flex

O ex-ministro da Agricultura e coordenador da FGV Agro, Roberto Rodrigues, disse ontem (30), na abertura do Simtec 2009 (Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia da Agroindústria Sucroalcooleira), em Piracicaba, SP, que a demanda mundial por veículos flex fuel é inevitável e o Brasil pode liderar o processo de mudança da matriz energética do planeta.

No entanto, Rodrigues afirma que o País ainda precisa elaborar estratégias mais audaciosas em relação aos combustíveis renováveis. Ele defende maior diálogo entre o setor e o governo federal, para o desenvolvimento de estratégias que vão além de simplesmente vender etanol. O ex-ministro sugere que o País exporte também tecnologia, expertise e produtos de valor agregado.

Para justificar sua previsão de aumento da demanda por carros flex, Rodrigues afirmou que a emissão de CO2 da gasolina é 89% maior do que a do etanol. Ele disse ainda que 27% de toda a emissão do gás é feita por veículos e que os Estados Unidos, a União Européia e o Japão lideram a lista de poluidores, com a média de 60 veículos para cada 100 pessoas.

Já a Índia e a China, que juntas possuem aproximadamente 2 bilhões de habitantes, o equivalente a um terço da população da terra, registram média de três veículos para cada 100 pessoas. Segundo Rodrigues, os dois países asiáticos têm grande potencial de compra de veículos flex fuel, assim que o mercado amadurecer.

“Não devemos nos preocupar em vender etanol, mas, sim, em criar um conjunto de países consumidores. Este é nosso grande desafio. Quando esse mercado for criado, ninguém vai conseguir competir conosco”, disse o ex-ministro.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X