fbpx

Setor vai receber investimentos

O setor sucroalcooleiro vai receber pesados investimentos para garantir o escoamento da safra de álcool no exterior.

Durante a IV Conferência Internacional da Datagro sobre Açúcar e Álcool, no dia 19 de outubro, no Grand Hyatt, executivos da Petrobras, da Crystalsev e da Coimex falaram do potencial do álcool no exterior e a importância de se investir em estruturas logísticas para escoar o produto.

A Petrobras, por meio de sua subsidiária Transpetro, tem um projeto de US$ 200 milhões em infra-estrutura logística para escoamento do álcool, com a construção de novos dutos para o transporte do combustível a partir da Replan (Refinaria de Paulínia), em São Paulo, até o terminal de Ilha D´Água, no Rio, e aumento da capacidade de tancagem dos atuais terminais da companhia.

Segundo o executivo Marcelino Guedes Gomes, gerente-geral de novos

negócios da Transpetro, a Petrobras deverá ancorar uma série de investimentos em parceria com a iniciativa privada para melhorar o Petrobras e Crystalsev fazem aportes para melhorar escoamento de produção escoamento do álcool. Hoje, com sua atual estrutura, a Petrobras tem condições de escoar 1,5 bilhão de litros por ano de Paulínia até a Baía de Guanabara, no Rio.

Na primeira fase de investimentos, os planos da companhia são construir um novo duto só para transportar álcool, ligando Paulínia a Taubaté. De Taubaté, o álcool seguiria até o Rio.

Hoje o Rio é a alternativa mais viável, uma vez que a companhia tem

estrutura para escoar granéis líquidos.

O Porto de Santos (SP) fará parte da rota futura. Na segunda etapa do programa, a Petrobras deverá construir outro duto, ligando Ribeirão Preto, principal pólo produtor, a Paulínia.

Em um terceiro momento, a estrutura logística de transporte poderá

contar com a hidrovia Tietê-Paraná.

Já a CrystalSev fez investimentos para um terminal exclusivo para álcool. Essa parceria, feita com a Cargill, que investiu em um terminal para óleos vegetais, e com a Ultracargo (controlada pelo grupo Ultra), para produtos químicos, resultou em um investimento de US$ 40 milhões para colocar em operação, a partir de dezembro, o Terminal Intermodal de Santos (TIS), no porto de Santos (SP). O terminal conta com estrutura independente para embarcar álcool – a primeira plataforma exclusiva para esse tipo de produto no mundo -, um para óleos vegetais e outro para produtos químicos.

Todos os investimentos fazem parte da estratégia do setor para tornar

o país o maior distribuidor de álcool do mundo.

Em apresentação feita pela Coimex Trading, Ricardo Parada disse

que o Brasil tem condições de suprir os mercados emergentes importadores de álcool por ser o mais competitivo, sobretudo se investir em logística para o escoamento do produto, uma vez que já possui os custos mais baixos do mundo.

Confira matéria especial completa na edição de novembro do JornalCana.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X