fbpx

“Setor precisa que medidas saiam esta semana”, alerta diretor-presidente da Unica

Caso contrário a próxima semana terá notícias tristes

As medidas de apoio ao setor sucroenergético seguem travadas em Brasília. O que se sabe até o momento é que a redução de PIS/Cofins sobre o etanol e aumento do Cide sobre a gasolina aguardam aprovação do presidente da República, Jair Bolsonaro. “Precisamos que saiam esta semana sob pena de notícias tristes a partir da próxima semana”, alerta o diretor-presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Evandro Gussi.

LEIA MAIS > Preço da cana cai 8,5% em Pernambuco por conta dos efeitos da COVID-19

As usinas passam por uma crise aguda devido à queda histórica do preço do barril de petróleo, que tornou os combustíveis fósseis mais competitivos. Além disso, a demanda também caiu com as medidas de isolamento social tomada para lidar com a pandemia do novo coronavírus. “Já temos usinas suspendendo as atividades e outras devem seguir por esse caminho”, comentou Gussi em entrevista ao Canal Rural.

LEIA MAIS > Sindaçúcar colabora com pesquisas e projetos da UFPE para enfrentamento da COVID-19

De acordo com o diretor-presidente da Unica, a Cide é um instrumento criado justamente para amortecer impactos graves nos preços dos combustíveis. “E estamos pedindo uma medida em caráter extraordinário, não é para sempre”, afirma.

LEIA MAIS > “Temos um terço do setor em recuperação judicial”

Outra medida estudada é a criação de uma linha de financiamento para que as usinas estoquem parte da produção. O Ministério da Economia anunciou esta semana que está negociando com um consórcio de bancos para disponibilizar recursos para as usinas. “Precisamos do financiamento para ter fluxo de caixa”, destaca Gussi.

LEIA MAIS > 2 fatores mostram que o setor recuperará participação no mercado global de açúcar

O dirigente da Unica destaca, ainda, que a crise não afeta apenas a indústrias, mas todo a economia de milhares de cidades que fazem parte da cadeia produtiva do etanol. “Nosso desafio é a compreensão do que isso significa para o Brasil, são 1.200 municípios”, diz. “Nosso grande inimigo agora é o tempo”, finaliza.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

nove + 13 =

X