fbpx

Setor canavieiro poderá renovar frota na safra 17/18

O próximo ano já é visto com bons olhos pelo produtor rural brasileiro. Clima mais favorável, custos estáveis, aumento da demanda chinesa, créditos para investimentos e a retomada da confiança do produtor rural. Esses fatores devem refletir nos números esperados: crescimento de 0,5% no segmento, e aumento esperado de 24% na renda agrícola brasileira, totalizando R$ 494 bilhões.

No mercado canavieiro, em particular, as expectativas são de uma recuperação gradual: aumento nos preços do açúcar e etanol, safra com começo antes do planejado e maior uso da biomassa como geração de energia são alguns dos aspectos-chave para a projeção de melhora do segmento.

Alguns números esperados para a próxima safra são: 650 milhões de toneladas produzidas de cana-de-açúcar, 134 ATR (açúcar total recuperável) por tonelada e um salto de 21% no potencial da biomassa para consumo energético do País até 2024, segundo a Unica (União das Indústrias de Cana-de-Açúcar/SP).

Um importante player global no setor sucroalcooleiro, o Brasil vê os resultados da melhor condição de preço no açúcar e no etanol começarem a estimular o cenário de operação da indústria, mas o retorno dos investimentos nos canaviais deve começar a refletir em crescimento somente a partir de 2018. Apesar disso, o mercado de máquinas agrícolas no setor canavieiro tem necessidade de renovar a frota.

Esse processo deve começar a ser eliminado em 2017. “Muitos clientes que adiaram os investimentos em renovação por conta das dificuldades nos últimos anos já iniciaram o planejamento, e alguns já estão confirmando os pedidos para a próxima safra”, declarou Marco Antônio Gobesso, gerente de marketing de produto cana-de-açúcar da AGCO.

Gobesso destaca ainda a certa “independência” do crescimento na compra de máquinas agrícolas em relação ao desempenho da próxima safra: “O produtor rural compra máquinas por dois motivos: ou porque aumentou a área de plantio ou porque a máquina alcançou o limite. Em 2017, apesar de não ser esperado um crescimento significativo da safra, existe a necessidade de renovação da frota envelhecida. Temos clientes que deixaram de renovar o maquinário por conta da baixa remuneração, e agora que eles estão com a remuneração melhor, a ideia é renovar a frota independente do crescimento no próximo ano”.

As informações são do Grupo Cultivar.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X