JornalCana

Seis multas relacionadas à segurança do trabalho que podem impactar o caixa da empresa

Gestor da Engehall explica que empregador é responsável por preservar saúde e segurança de empregados no ambiente profissional

A segurança do trabalho é uma área da gestão de empresas que tem foco na promoção da segurança, saúde e bem-estar dos trabalhadores. Ou seja, cabe a essa área identificar possíveis riscos no ambiente de trabalho, prevenir acidentes, treinar e conscientizar, além de cumprir regulamentações.

De acordo com Marlon Pascoal Pinto, engenheiro de Segurança do Trabalho e gestor na Engehall, a segurança no ambiente de trabalho mostra-se cada vez mais importante em qualquer organização e está sujeita a leis muito específicas.

“É preciso que as empresas estejam em conformidade com essas leis, caso contrário, além de colocar a segurança dos funcionários em risco, ainda podem ter que pagar multas, conforme determina a NR 28”, explica.

LEIA MAIS > Usina Cocal “vira o jogo” em seus processos de manutenção industrial usando tecnologias 4.0

Segundo Marlon, as normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho preveem algumas exigências a serem cumpridas para que as empresas não tenham penalidades. “Elas devem ser obedecidas por todos os empregadores que possuam colaboradores regidos pela CLT, não importando o número de funcionários”.

Conheça seis multas que podem ser aplicadas em caso de descumprimento das normas trabalhistas:

Falta de elaboração e/ou implementação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) – Toda empresa deve elaborar o PPRA, que pode ser uma ferramenta essencial quando se trata da gestão de segurança e meio ambiente. No item 9.1.1 da NR9 a multa para quem não o faz é a partir de R$ 2.387,12.

Falta de elaboração e/ou implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) – Toda empresa deve elaborar e implementar o PCMSO para promover e preservar a saúde de seus colaboradores. A falta dele, segundo o item 7.3.1 da NR7 pode ocasionar multa a partir de R$ 1.431,00.

LEIA MAIS > Por que a Tereos aposta no biogás para produção de energia elétrica?

Falta de realização de exame médico periódico – O trabalhador deve ser submetido a uma avaliação clínica em prazos específicos. Se não for cumprida a norma, a multa determinada no item 7.4.3.2 da NR7 é a partir de R$ 716,56.

Falta de fornecimento de equipamento de proteção individual – A empresa deve fornecer gratuitamente e em perfeito estado de funcionamento o equipamento de proteção. Caso não o faça, a multa prevista no item 6.3 da NR6 é a partir de R$ 2.387,12.

Falta de treinamento para designado da CIPA – As empresas que não têm a obrigação de manter uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes devem ao menos promover todos os anos um treinamento para o responsável pela área. A multa no caso da falta de treinamento está prevista no item 5.32.2 da NR5 e é a partir de R$ 1.792,46.

LEIA MAIS > Sem grandes investimentos, Usina Vertente aumenta performance de extração e aumenta moagem

Falta de informação sobre riscos profissionais aos trabalhadores – É preciso que a empresa informe aos trabalhadores todas as informações relacionadas aos riscos de operações e execuções de produtos a serem manipulados. Caso não o faça, a multa ficará entre R$ 2.331,32 a R$ 233.130,50 de acordo com a gravidade da infração, conforme o artigo 8º, IV, da Portaria MF nº 15/2018.

Segundo o gestor da Engehall, é importante lembrar que, além do pagamento de multas, as empresas que não cumprem as regulamentações de segurança podem sofrer ações judiciais de insalubridade e periculosidade.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram