fbpx

Secretário de renováveis do MME assume conselho da estatal do pré-sal

Félix é funcionário da Petrobrás há 33 anos
Félix é funcionário da Petrobrás há 33 anos

O engenheiro Márcio Félix, secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia (MME), assumirá a presidência do Conselho de Administração da PPSA, a estatal do pré-sal.

Félix assumiu a pasta relacionada a combustíveis renováveis no fim de junho último. E na presidência do Conselho de Administração da PPSA, ele ocupará o cargo que foi de seu antecessor no ministério, Marco Antonio Martins Almeida.

O mandato a frente do conselho até 11 de novembro de 2017.

O despacho, assinado pelo presidente Michel Temer e pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, também nomeou para o conselho Marcelo Pacheco dos Guaranys e Ariosto Antunes Culau.

Quem é Félix:

Márcio Félix é servidor da Petrobras há 33 e, até meados deste 2016, exercia o cargo de gerente-geral de América do Norte e África na Exploração e Produção Internacional da estatal.

Félix é graduado em Engenharia Eletrônica pela Universidade de Brasília, com especialização em Engenharia do Petróleo, pela Universidade Petrobras e MBA em Gestão Empresarial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Quem é a PPSA: 

A Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural – Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia, foi criada em 1º de agosto de 2013, com a publicação do Decreto n.º 8.063.

A Pré-Sal Petróleo S.A. – PPSA tem como objetivos, a gestão dos contratos de partilha da produção para exploração e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos e de comercialização de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos da União, celebrados segundo a Lei n.º 12.351/2010.

A PPSA também representa a União nos procedimentos de individualização da produção e nos acordos decorrentes, nos casos em que jazidas da área do Pré-sal e de áreas estratégicas se estendam por áreas não concedidas ou não contratadas sob o regime de partilha da produção.

 

 

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

Comentários
Carregando...
X