fbpx

Se o tempo permitir, moagem de cana no Mato Grosso do Sul deve chegar a 50 milhões de toneladas

Foto: Divulgação/Biosul

Se as condições climáticas permitirem e chover menos, a moagem de cana-de-açúcar no Mato Grosso do Sul deve chegar a 50 milhões de toneladas na safra 2018/19.

Entre abril a novembro, as unidades produtoras do Estado processaram 43 milhões de toneladas.

“Ainda temos um bom volume de cana no campo, e se a quantidade de chuva cooperar nossa expectativa é atingir 50 milhões de toneladas”, estima Roberto Hollanda Filho, presidente da Biosul, entidade que representa a indústria sucroenergética do Estado.

“Já em um cenário com muita chuva nas próximas quinzenas, acredito que devemos manter o volume de cana no mesmo patamar da safra passada.”

Desempenho 

A moagem de cana apurada até novembro é 2,3% superior a do mesmo período da safra anterior. O desempenho reflete a moagem adiantada na atual temporada, o que compensou o tempo de colheita parada nas últimas quinzenas com chuvas.

A segunda quinzena de novembro registrou menos chuvas e, assim, as usinas recuperaram o ritmo de moagem de cana no Mato Grosso do Sul. No período, a quantidade de cana processada atingiu 2 milhões de toneladas, volume 61% maior comparado à mesma quinzena de 2017.

Conforme acompanhamento quinzenal feito pela Biosul, foram registrados 176 milímetros de chuvas na região da Grande Dourados, onde está concentrada a maior quantidade de lavouras no Estado. O volume foi 73% menor que a quantidade de precipitações registradas na quinzena anterior.

“Tivemos um volume de chuva ainda acima da média dos últimos anos [156 mm], contudo foi muito menor com relação a quinzena anterior, o que permitiu as usinas recuperarem o ritmo de moagem”, destaca Hollanda Filho.

ATR

Como consequência das chuvas, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana registrou  diminuição na segunda quinzena de novembro com 113,86 kg, volume 12% menor ante o mesmo período de 2017.

Já no acumulado, o ATR por tonelada de cana foi de 135,08 kg, acréscimo de 3% no comparativo com a safra passada.

Etanol

Já a produção de etanol hidratado alcançou 89 milhões de litros na última quinzena de novembro, montante 42% maior na comparação com o mesmo período de 2017.

O etanol anidro apresentou um aumento de 52%, com 32 milhões de litros produzidos, enquanto que na mesma quinzena da safra passada foram registrados 21 milhões de litros.

Na produção acumulada da temporada, o etanol hidratado se manteve crescente com relação ao mesmo período da safra anterior. Foram feitos 2,1 bilhões de litros do biocombustível, um aumento de 41%.  Já a produção de anidro, registrou queda de 13%, de abril a outubro, com 709 milhões de litros.

No total, a produção de etanol no Estado atingiu 2,8 bilhões de litros, alta de 22% com relação ao ciclo anterior.

Açúcar

Segundo a Biosul, na última quinzena de novembro a produção do açúcar teve alta de 42%, com produção de 27 mil toneladas, contra 19 mil toneladas.

Já no acumulado, o açúcar segue com a produção abaixo da safra passada. Nesse período, foram produzidas 878 mil toneladas, enquanto que no ciclo anterior, a produção atingiu 1,4 milhão de toneladas no mês de novembro, uma queda de 38%.

Mix de Produção

O etanol segue dominante no mix de produção. Na última quinzena de novembro, o percentual foi de 88% para o biocombustível e 12% para açúcar. Já no período acumulado, o percentual foi de 84% e 16%, respectivamente.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X