fbpx

São Francisco Balbo sedia comemoração “25 Anos de Bioeletricidade no Brasil”

img1859

A Usina São Francisco (Balbo), de Sertãozinho (SP) vai sediar no próximo dia 25 de maio, a comemoração “25 Anos de Bioeletricidade no Brasil”, organizado pela Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar. A cerimônia que homenageará empresas e entidades que participaram há 25 anos do início da geração de energia elétrica a partir da biomassa da cana-de-açúcar, inciará às 10h.

Segundo a Unica, a Usina São Francisco foi escolhida para comemorar os 25 anos da bioeletricidade no Brasil por ser a primeira a exportar eletricidade obtida de uma fonte 100% renovável para a CPFL Energia, comercializadora de energia para a rede elétrica. No mesmo ano, as usinas São Martinho, de Pradópolis (SP) e Vale do Rosário, em Morro Agudo (SP), hoje ligada ao Grupo LDC-SEV, também iniciaram suas operações de cogeração.

A iniciativa das três usinas, da CPFL Energia e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), financiador de máquinas e equipamentos utilizados nesses projetos, serão reconhecidos com placas comemorativas produzidas pela Unica.

Entre as autoridades presentes estará o secretário de Energia do Estado de São Paulo (SP), José Aníbal, bastante aguardado pelo setor. “O secretário José Aníbal tem tido importante atuação para viabilizar a expansão da bioeletricidade da cana desde que assumiu a Secretaria de Energia no início de 2011, e será uma presença muito importante e bem-vinda” afirma o diretor técnico e presidente interino da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

Em junho de 2011, durante a abertura da 3ª edição do Ethanol Summit, o governo paulista anunciou que estava sendo zerado o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para bens de capital utilizados em usinas na cogeração de eletricidade por meio da queima do bagaço de cana. Antes da desoneração ser decretada pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin, a alíquota do ICMS para esse tipo de equipamento era de 25%. Na mesma ocasião foi firmado um Protocolo de Cooperação que criou o primeiro certificado de Energia Verde do estado de SP. O documento identifica produtores e usuários de energia produzida de forma sustentável a partir do bagaço e da palha da cana.

Além do secretário José Anibal, a presidente da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), Silvia Calou, também confirmou presença. Outras autoridades, incluindo o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, também foram convidados.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X