fbpx

Saiba tudo sobre a cana transgênica do CTC

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) S.A. se prepara para lançar em 2017 sua primeira variedade de cana-de-açúcar transgênica. Será também a primeira cana geneticamente modificada a chegar ao mercado sucroenergético brasileiro.
A novidade promete revolucionar o mercado do setor sucroenergético, com uma cana geneticamente modificada que promete maior velocidade em maturação e produtividade.
Em entrevista para o Portal JornalCana, Virgilio Vicino, gerente de negócios e biotecnologia do CTC, detalha sobre a cana transgênica prevista para chegar ao mercado em 2017 e sobre as finalidades do Laboratório de Biotecnologia que o Centro de Tecnologia Canavieira inaugurou neste ano.

O lançamento de variedades convencionais de cana-de-açúcar é lento no Brasil. A cana transgênica do CTC pretende mudar isso? 

Virgilio Vicino – O histórico mostra que o crescimento de novas variedades recém-lançadas é muito lento no setor canavieiro. Assim, o setor demora em coletar os benefícios proporcionados por essas variedades. O CTC trabalha em duas frentes para reverter essa prática: disseminando técnicas de multiplicação acelerada de novas variedades através de seminários e treinamentos às usinas, e transformação transgênica de variedades convencionais já conhecidas e adotadas pelo produtor.

Localizado em Piracicaba, o CTC tornou-se S.A. em 2011 (Foto: Divulgação)
Localizado em Piracicaba, o CTC tornou-se S.A. em 2011 (Foto: Divulgação)

A futura cana transgênica do CTC será específica para determinadas regiões canavieiras do País? 

Virgilio Vicino – Como as variedades transgênicas são idênticas à suas variedades isogênicas convencionais, apenas tendo de diferente a nova característica inserida (por exemplo, resistência a determinada praga), elas serão indicadas para as mesmas regiões de suas isogênicas convencionais. Então, se uma variedade convencional qualquer é recomendada para plantio em ambientes restritivos e determinadas regiões, a variedade transgênica correspondente terá a mesma recomendação.

A cana transgênica do CTC deve mesmo ser lançada em 2017?

Virgilio Vicino – No Brasil, o órgão responsável por avaliar e aprovar a liberação comercial de materiais transgênicos é a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio). Considerando um prazo médio de avaliação baseado em outros materiais analisados, e resultando essa avaliação como positiva à liberação conforme esperamos, o lançamento deve ocorrer em 2017.

Que produtor de cana poderá usar essa variedade?

Virgilio Vicino – Após avaliação e liberação pela CTNBio, e cumprindo outras exigências legais de prazo mais curto, qualquer produtor poderá utilizar a variedade transgênica liberada. A introdução pelo CTC aos seus clientes, sejam eles usinas ou produtores, ocorrerá de acordo com a produção de mudas após a liberação.

Quais os ganhos previstos da variedade em produção de açúcar e de etanol? 

Virgilio Vicino – A primeira variedade transgênica desenvolvida pelo CTC será resistente à principal praga da cana-de-açúcar, que é a broca da cana (Diatraea saccharalis). Qualquer descuido nos cuidados de controle dessa praga pode levar a uma infestação potencial elevada, com níveis acima de 10% de infestação facilmente alcançados.

Detalhe os benefícios

Virgilio Vicino – Os benefícios econômicos virão principalmente ao se evitar os prejuízos à produtividade, tanto agrícola como industrial, causados pela praga. Assim, haverá maior produtividade por hectare cultivado. No entanto, os benefícios da cana transgênica não são só os econômicos. Essa tecnologia simplificará todo o manejo da broca hoje utilizado, oferecendo ao produtor uma conveniência importante no complexo logístico e operacional presentes hoje na produção canavieira, pois a cana Bt oferece eficiência no controle da broca da emergência à colheita da cana, independente de clima e eficiência operacional humana.

Explique mais, por favor.

Virgilio Vicino – Ao minimizar o uso de aplicações de inseticidas para broca, a tecnologia evita compactação de solo e pisoteamento da cana causados por entrada de tratores, ou possíveis derivas de inseticidas a culturas vizinhas nas aplicações aéreas, como também disponibiliza a mão de obra e tempo dispendido nessas atividades para outras operações. Haverá menor consumo de combustível, água, emissão de gases efeito estufa no ambiente e descartes de embalagens na unidade produtora. A cana Bt não interfere com inimigos naturais das pragas ou outros insetos benéficos como as abelhas. Assim, é uma tecnologia amigável ao meio ambiente.

Novo laboratório foca características melhoras da cana

Quais as finalidades do laboratório de biotecnologia do CTC inaugurado neste 2015?

Vicino: ganhos da cana transgênica vão além dos econômicos (Foto: Divulgação)
Vicino: ganhos da cana transgênica vão além dos econômicos (Foto: Divulgação)

Virgilio Vicino – O novo laboratório tem duas finalidades principais:

  1. Desenvolvimento de variedades de cana transgênicas com características melhoradas em relação às variedades de cana convencionais. Esses projetos focalizam a inserção de determinada construção gênicas em variedades convencionais, visando torna-las resistentes a pragas que causam prejuízos à produtividade ou tolerantes a herbicidas de baixo custo, mas que causam injúrias se utilizados nas variedades convencionais. Também estão em desenvolvimento variedades com maior teor de açúcar ou variedades com maior produção de biomassa. Ao adquirirem essas características, as variedades de cana tornam-se melhores e mais produtivas, proporcionando mais produtividade e redução de custos ao produtor.
  2. Desenvolvimento de marcadores moleculares que auxiliem o processo de seleção de variedades com caraterísticas desejáveis pelos produtores. Os marcadores moleculares auxiliam a identificação de grupos gênicos de cana-de-açúcar responsáveis por expressar na variedade de cana convencional uma determinada caraterística, seja ela desejável ou não. Assim, durante o processo de seleção de novas variedades, esses marcados facilitam identificar, desde as fases iniciais do processo, quais são os clones que devem continuar no processo de seleção por serem resistentes à esta doença. Isso torna o processo de seleção de variedades convencionais muito mais eficaz, havendo uma economia de tempo e de recursos ao se detectar antecipadamente determinada caraterística nos materiais em processo de seleção.

    Quem mais trabalha com cana transgênica

    O CTC não está sozinho no mercado de cana transgênica.
    A americana Ceres promete para lançar em até sete anos, no mercado brasileiro, variedade transgênica de cana com 30% de produtividade com acelerada maturação, conforme explicou para o Portal JornalCana André Franco, executivo da empresa.
    A Embrapa Agroenergia também trabalha variação transgênica. Ainda em 2011, apresentou as primeiras plantas de cana-de-açúcar transgênicas tolerantes à seca.

Contate o autor deste texto: [email protected]

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X