JornalCana

Safra de cana é a maior e também a melhor da história

A maior safra de cana-de-açúcar da história é também a melhor de todos os tempos. Dados da 4ª estimativa da União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo (Unica) mostram que o Centro-Sul do país deve encerrar a safra 2003-04 em 291,4 milhões de toneladas de cana, um crescimento de 1,2% sobre a última previsão da entidade e um aumento de 7,7% sobre o ciclo 2002-03. No Brasil, a oferta nacional está estimada em 343,7 milhões de toneladas, 6,9% superior ao ano anterior.

“A seca registrada entre maio e setembro deste ano acelerou o rendimento da cana”, disse ontem Eduardo Pereira de Carvalho, presidente da Unica. Os dados foram divulgados na abertura do evento que a entidade está organizando na semana do Sugar Dinner, encontro que reúne os principais produtores mundiais, tradings e empresários do açúcar e do álcool. No Brasil, o evento ocorre a cada dois anos e está em sua segunda edição.

Segundo Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica, as chuvas entre os meses de outubro e novembro serão cruciais agora para definir o tamanho da nova safra, a 2004-05.

“Com a seca, a concentração de ATR (quantidade de açúcar na cana) aumentou”, disse. A maior safra deve-se também à maior renovação dos canaviais.

A produção de açúcar está estimada em 23,9 milhões de toneladas no Brasil, um crescimento de 6% sobre a produção obtida em 2002-03. A de álcool ficará em 13,9 bilhões de litros, um aumento de 9,6%, ante o ano anterior. As exportações de açúcar devem atingir 13,7 milhões, um crescimento de 2,6% sobre o ciclo anterior igualmente as vendas externas de álcool deverão bater 700 milhões de toneladas, um aumento de 2,6% sobre 2002-03. Até o início deste mês, 239,9 milhões de toneladas de cana desta safra já tinham sido processadas.

Se por um lado, os produtores vislumbram volumes recordes de produção, por outro amargam os mais baixos preços dos últimos três anos.

No mercado interno, os preços do açúcar acumulam queda de 47% no ano. Na bolsa de Nova York, os preços registram desvalorização de 22%.

Para forçar ainda mais a baixa nos preços, na Europa, a safra de beterraba também teve bom rendimento, afirmou ontem Patrick du Genestoux, presidente da Ersuc, consultoria sucroalcooleira da França. Com a maior oferta européia, o sentimento baixista deve se manter no mercado no curto prazo.

A expectativa é de que a produção de cana aumente até 5% para 2004-05, de acordo com estimativa preliminar da Canaoeste (Associação dos Produtores de Cana do Oeste de São Paulo), uma das maiores entidades do país.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram