JornalCana

Safra 2023/24 apresenta média de produção 20% acima em relação à anterior

Segundo Pecege, atraso no plantio contribui para reduzir projeção da safra 2024/25

“A safra da tempestade perfeita”. Essa foi a definição do consultor do Pecege, João Rosa, o Botão, em relação à temporada 2023/24. “Foi a safra em que nós tivemos preço e tivemos produção. E além de tudo, o custo caiu”, avaliou o consultor em análise apresentada durante evento “Cana em Foco”, promovido pela Nitro, fabricante de especialidades químicas e insumos para o agronegócio.

“Nós tivemos 20% a mais em média do campo, de cana ou de ATR, ou seja, tivemos uma produção de cerca de 20% a mais e na média. Teve lugar com 10%, 5%, e outros 40%, 45% a mais, de um ano para o outro, um crescimento impressionante”, disse o consultor.

LEIA MAIS >PECEGE estima custos menores de produção para as safras 2023/24 e 2024/25

Entre os fatores que proporcionaram essa produção recorde, Botão elencou a chuva e também a alta taxa de reforma do canavial realizada em 2022. “Então já era um pouco esperado que, em 2023, tivesse uma reação da produtividade”, explicou.

Segundo dados do Pecege, a safra 2023/24 contabilizou até agora, uma moagem de 652.641 milhões de toneladas de cana, 18,98% acima em comparação ao ciclo passado. A produção de açúcar está com 42,40 milhões de toneladas, um aumento de 25,70%. Já a de etanol, totaliza 27,16 bilhões de litros, 10,91% a mais que a anterior.

Para a safra 2024/25, embora os números devam permanecer em patamares elevados, é esperada uma queda na produtividade. A estimativa de moagem é de 622.318 milhões de toneladas, uma redução de 4.7% em relação à safra atual.

“Vai cair a produtividade. Por quê? Porque não está chovendo maravilhosamente bem igual no passado e porque nós não conseguimos plantar o necessário. São Pedro abriu a torneira, foi generoso e o plantio atrasou. A operação começou com aquela safra meio, que vai e para. Vai e para. Vai e para. O produtor não precisou empurrar o plantio para frente. Começou a competir com estrutura de colheita. Não plantou tudo que tinha para plantar. Quem plantava 10, 12 mil hectares por ano, plantou quatro. Então, é normal que se espere uma queda de produção esse ano, principalmente, porque vai ter um canavial mais velho para colher”, explicou o consultor.

LEIA MAIS >Jacyr Costa crê em safra rentável por conta da demanda de etanol

Assim, a produtividade que nesta safra foi de 87,6 t/ha deve cari para 83,4 t/ha. A qualidade da cana passará de 140,8 kg/t 139,4 kg/t. Já a previsão de preço para o Consecana/SP acumulado é de R$ 1,1105

Essas e outras projeções de safra mais atualizadas estarão disponíveis na Expedição Custos Cana, evento que acontece em Piracicaba – SP, nesta quinta-feira (29). Mais informações sobre o credenciamento para o evento podem ser obtidas no site: https://www.custoscana.com.br/

Essas e outras projeções de safra mais atualizadas estarão disponíveis na Expedição Custos Cana, evento que acontece em Piracicaba – SP, nesta quinta-feira (29). Mais informações sobre o credenciamento para o evento podem ser obtidas no site: https://www.custoscana.com.br/

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram