JornalCana

Regime novo da União Européia para açúcar favorece Brasil

A União Européia apresentou ontem suas proposta para as mudanças de seu atual regime para o açúcar. Segundo o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, o Brasil pode se favorecer com a redução das exportações subsiadas do açúcar da Europa no mercado internacional.

O setor sucroalcooleiro recebeu as notícias com otimismo. Eduardo Pereira de Carvalho, presidente da Unica (União da Agroindústria Canavieira de São Paulo), disse ontem, em Brasília, que se forem aprovadas, as mudanças representariam um primeiro passo para a liberalização do mercado mundial de açúcar.

Leia na íntegra as propostas da Comunidade Européia:

Preço garantido de 632 euros por tonelada (o triplo do preço mundial) cairá para 421 euros por tonelada em duas etapas (queda de 33%), ao longo de três anos

Redução do preço mínimo da beterraba sacarina de 43,6 por tonelada para

27,4 euros por tonelada (queda de 37%) em duas etapas, ao longo de três anos

A União Européia eliminará seu mecanismo para comprar excedente de

açúcar. Será substituído por um regime de armazenagem privado, com ajuda limitada da EU

Redução da produção comunitária de açúcar de 2,8 milhões de toneladas –

de 17,4 milhões para 14,6 milhões de toneladas, ou cerca de 20% – em quatro anos

Redução das exportações subvencionadas em 2 milhões de toneladas – de 2,4 milhões para 400 mil toneladas em quatro anos

Novo pagamento aos produtores de beterraba sacarina, para compensar 60% das perdas de seus rendimento

As refinarias que vão desaparecer têm duas alternativas:

a) Vender suas cotas de produção para outros operadores europeus

b) Vender a cota para a própria UE, que pagará sob o regime de conversão

de 250 euros por tonelada para as refinarias que mudarem de setor

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram