fbpx

RB065862 pode ser a primeira variedade de cana selecionada no MS

Ela é desenvolvida pela Ridesa e pela UFSCar

Foto: Divulgação/Biosul

Produtividade acima da média para ambientes de Mato Grosso do Sul é um dos resultados obtidos com o clone de cana-de-açúcar RB 065862.

Ela é desenvolvida pela Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa Brasil) e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

A futura variedade está na fase final de avaliação e a expectativa é que a liberação ocorra nos próximos anos.

De acordo com o Supervisor Regional de Melhoramento Genético da Ridesa/ UFSCar, João Carlos Civieiro, a fase corresponde à validação do clone em área comercial com plantio mecanizado.

“A liberação pode ocorrer em breve, estamos na expectativa e vai depender dos resultados na área comercial que é a última etapa”, explica.

 

Leia também: 

Presidente executivo da boliviana Unagro, Luis Fernando Barbery Paz é eleito Sugar Man of the Year em premiação internacional

 

Colheita em meio de safra

Além da alta produtividade, o clone RB 065862 vem apresentando outras características importantes, como época de colheita em meio de safra (julho a setembro), difícil florescimento e boa brotação de soqueira.

“Além de resistência às principais doenças”, complementa Civieiro.

Para o Engenheiro Agrônomo da Ridesa/UFSCar, Antônio Ribeiro, se trata de um material promissor.

“Usinas que experimentaram a série relataram produtividades muito boas. Já são treze anos de experimento e a nossa intenção é fornecer esse material com bastante segurança às usinas e aos fornecedores de cana”, afirmou, otimista.

Média de 107 tch

Com avaliações de ensaios em diversos ambientes no Estado, o clone atingiu na média de três colheitas 107 toneladas de cana por hectare.

“Estamos falando de dez toneladas acima da média apresentada, por exemplo, pela RB 966928 que é carro chefe aqui em Mato Grosso do Sul”, ressalta Ribeiro.

Para o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, se trata de um avanço para o setor no Estado. “O foco no aumento da produtividade é uma constante na atuação da Biosul.

A parceria com a Ridesa tem sido positiva, temos ótimas expectativas com o desenvolvimento de novas variedades”, destaca.

A informação foi compartilhada na 6ª Reunião Anual 2019, realizada em 28/09 em Dourados (MS).

O encontro foi realizado pela Ridesa Brasil e UFSCar em parceria com a Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).

E reuniu representantes das usinas em operação no MS, fornecedores de cana-de-açúcar e pesquisadores para avaliação e apresentação das séries em experimentos nas usinas do Estado.

 

Melhoramento genético

As variedades de sigla RB são cultivadas em mais de 65% da área com cana-de-açúcar no País. Em Mato Grosso do Sul estão presentes em todas as áreas das 19 unidades sucroenergéticas em operação.

Segundo Civieiro, a partir de 2007, com a série 2006, começou a ser introduzido no Estado a primeira fase do programa de melhoramento genético (T1), possibilitando estes clones serem selecionados para as características de Mato Grosso do Sul. “Hoje o Estado já conta com clones promissores, mais produtivos e adaptados às condições daqui”, destaca.

O processo de desenvolvimento das variedades é extenso, com fases de testes, experimentação e validação que podem durar mais de quinze anos. “Importante destacar a contribuição e confiança em nossas pesquisas por parte das usinas e fornecedores parceiros neste trabalho”, completa Civieiro.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X