fbpx

Qual a relação entre monitoramento com drones e automação na Usina 4.0?

A revolução tecnológica nas usinas é um caminho sem volta. Saiba mais!

[Conteúdo Patrocinado]

A revolução tecnológica nas usinas é um caminho sem volta. Pode ser algo assustador para alguns, mas basta um pouco de pesquisa e estudo para perceber que este é um passo natural e positivo para a indústria. No dia 23 de setembro, promovemos o webinar USINAS & FORNECEDORES DE CANA, que contou com a participação de especialistas do setor, dentre eles o gerente comercial da Horus Aeronaves, Thiago Tomé, que apresentou a solução personalizada de monitoramento com drones focada em usinas, desenvolvida pela empresa de Florianópolis.

DESTAQUE > Usina e fornecedores de cana: vale a pena desenvolver uma parceria estratégica?

Em sua fala, Thiago pontuou as vantagens de realizar o monitoramento com drones em usinas de cana-de-açúcar, desmistificando um processo que envolve tecnologia avançada para manejo integrado do canavial. Mas para entender o valor do monitoramento com drones para a cana, precisamos entender o contexto de sua aplicação, bem como seus benefícios diretos para as usinas.

Cana e produtividade: uma batalha constante

Estudos de mercado feitos pela Pecege apontam que o custo médio por hectare para produção da cana-de-açúcar é de R$7.800,00. Sabendo que o cultivo da cana-de-açúcar é feito em longos ciclos, reduzir essa cifra é uma meta comum para gestores, responsáveis pela produtividade da usina. Ao isolar variáveis, percebe-se que perdas causadas por amassamento, falhas de plantio e infestações de plantas daninhas são fatores importantes na composição desse custo.

A falta de controle de tráfego durante o manejo mecanizado reflete em perda de 17% da produtividade, se comparada aos cultivos que realizam tal controle. Ainda no manejo, falhas de plantio são outro problema comum enfrentado no cultivo da cana, resultando, por vezes, em uma necessidade de renovação do canavial.

Já as plantas daninhas, sem o devido monitoramento, são capazes de causar perdas que correspondem a 2,5% da produtividade de cada hectare. Com todo esse contexto, os novos horizontes oferecidos pela Usina 4.0 e pelas novas tecnologias são um sopro de inovação e de soluções para uma cadeia produtiva tão tradicional de nosso país.

Mas como os drones podem auxiliar na produção de cana-de-açúcar?

Tecnologias são criadas para solucionar problemas, sanar dores que nos impedem de avançar. Neste caso, de termos canaviais ainda mais produtivos e uma indústria ainda mais forte. Os drones vieram para dar novos olhos aos profissionais do campo — olhos que observam do alto, equipados com sistemas de georreferenciamento de alta precisão.

Com seus drones profissionais, junto de uma plataforma de processamento otimizada e personalizável, a Horus Aeronaves oferece uma solução prática e de alta confiabilidade para lidar com infestações de daninhas, tomada de decisões e restituição de linhas de plantio para manejo mecanizado.

A partir de um mapa 100% georreferenciado, o algoritmo de identificação de daninhas da Horus detecta pontos críticos na área, onde é necessária atenção no manejo, com coordenadas.

Esse diagnóstico pode ser transformado em um mapa vetorizado para aplicação de herbicidas em taxa variável, integrável ao maquinário com piloto automático das principais marcas do mercado.

Realizar o controle de daninhas significa aumentar em 1 tonelada a produtividade de cada hectare da propriedade. Além disso, utilizando a aplicação em taxa variável a partir do arquivo gerado pelo drone, a economia de insumos chega a R$50,00 por hectare, aplicando o produto de maneira dosada, de acordo com a demanda de cada parte do talhão.

Através das imagens de altíssima resolução geradas pelo drone, é possível classificar falhas de plantio e estimar o quanto elas correspondem na área total – uma informação muito importante para gestores tomarem decisões acerca da renovação total ou replantio de partes do canavial.

Para completar, a solução da Horus ainda é capaz de restituir linhas de plantio, ou seja, de gerar mapas com as linhas para integração ao maquinário, com acurácia centimétrica, combatendo de frente o amassamento nos canaviais.

O sistema pode ser conhecido com mais detalhes neste e-book disponibilizado pela Horus.

Como funciona o mapeamento com drones?

Trata-se de um processo simples, de bom custo benefício e fácil implantação.

O mapeamento com drone consiste em uma operação automática, no processamento das imagens obtidas pelo drone – transformando-as em mapas – e na geração de análises.

A partir das análises, a Mappa, plataforma desenvolvida pela Horus, é capaz de produzir arquivos integráveis ao maquinário moderno utilizado na colheita mecanizada, conforme explicado anteriormente.

“Nosso objetivo é fornecer às usinas uma solução integrada, com drones profissionais de alto desempenho e uma plataforma de processamento intuitiva e fácil de usar. E, é claro, potencializar os seus resultados”, afirma o CEO da Horus Aeronaves, Fabrício Hertz.

A automação de análises, controle de daninhas, controle de tráfego e manejo de falhas potencializa a produtividade da cana-de-açúcar, sendo o drone uma excelente ferramenta para isso, com bom custo x benefício.

Como saber mais sobre o sistema de monitoramento com drones?

A Horus Aeronaves conta com uma página dedicada à solução para cana em seu site – clique aqui para acessar. Lá, é possível solicitar um atendimento junto à equipe de especialistas da empresa.

Podem ser trabalhadas três modalidades:

  • Se a usina já possui um drone, pode utilizar somente a plataforma de processamento;
  • Se a usina não possui drone, pode adquirir a solução completa ou contratar prestadores de serviços pontuais da Rede de Pilotos Horus.

É hora de aumentar a performance da sua usina. Clique aqui e fale com um especialista da Horus.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

doze − 5 =

X