fbpx

Produção de etanol 2G pode crescer em Alagoas

Subproduto está entre as estratégias de diversificação promissoras para a 21/22

Palha da cana é a fonte de produção do E2G (Foto: Marcus Leoni)

Dados divulgados em outubro pela Produção Agrícola Municipal (PAM) em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que a produção de cana-de-açúcar em Alagoas foi a maior dos últimos quatro anos. A safra foi de 18,7 milhões de toneladas em 2019. Na comparação com o ano anterior, o aumento na produção foi de 11,7%. Esses números refletem diretamente na produção de etanol 2G pode crescer no Estado. Quem também demonstra esse potencial é a GranBio, empresa que possui uma planta industrial no município de São Miguel dos Campos (AL).

DESTAQUE > Quais são as estratégias de diversificação mais promissoras para a 21/22

A Granbio celebra os números e afirma que uma boa safra também abre caminho para produção de etanol de segunda geração em outras regiões do Estado.

SAIBA MAIS > Saiba mais sobre o potencial de lucratividade do biogás de cana

Apostando na produção de etanol 2G  a companhia trabalha para aumentar a produtividade e a longevidade dos canaviais em mais de 50%. Segundo informações do site Cada Minuto, a GranBio também investe no desenvolvimento da cana Vertix, variedade exclusiva de cana-energia, mais robusta, com maior teor de fibra e potencial produtivo, que, por ser extremamente rústica, pode ser plantada em solos menos férteis, como as áreas de pastagens degradadas.

Pesquisadores criam novo método para produzir etanol 2G

Apostando também no E2G, pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) desenvolveram a patente “Hidrólise enzimática da palha de cana-de-açúcar usando enzimas produzidas por fungo” com o objetivo de aumentar a produção de etanol sem expandir a área plantada com cana-de-açúcar. A iniciativa foi desenvolvida no Laboratório de Bioengenharia, do Centro de Tecnologia da UFPB.

Raízen segue otimista com a produção do E2G

A Raízen também segue otimista com a produção do E2G. Recentemente ela passou, inclusive, a fornecer ao Grupo Boticário seu etanol de segunda geração. O produto fará parte da formulação dos itens de perfumaria da nova linha Nativa SPA Divine Caviar de O Boticário e também de quem disse, Berenice, tornando-se os primeiros produtos cosméticos do mundo a trazer em sua composição um etanol com menor impacto às mudanças climáticas, quando comparado ao etanol tradicional de mercado.

Mas, quais são as outras estratégias de diversificação promissoras?

O JornalCana promoveu uma oportunidade valiosa para os interessados no assunto. O webinar Etanol de Milho, E2G, Biogás e Outras Estratégias de Diversificação no Mercado Bioenergético reuniu 4 especialistas para um debate exclusivo. Confira:

Patrocínio:

  • DT Faceum – Aplicativo de Marcação de Ponto por Reconhecimento Facial que está revolucionando o Agronegócio
  • GDT by Pró-Usinas– Reduza os custos e o riscos na gestão de terceiros da sua usina! O software GDT de Gestão de Documentação de Terceiros, totalmente Saas, automatiza o fluxo de auditoria e validações, cabendo aos terceiros a tarefa de alimentar as informações e documentos no sistema.
  • HB Saúde – Humanização e Tecnologia em Saúde
  • Resolv – Com cases bem-sucedidos em diversas usinas, a Resolv inova e passa a oferecer uma completa plataforma de serviços, incluindo facilities, Segurança Patrimonial e de Alimentação.
  • S-PAA Soteica – Software de Otimização em Tempo Real presente em mais de 50 usinas, que maximiza a cogeração e a eficiência industrial, gerando ganhos superiores a R$ 1/tc. Saiba mais no site www.usina40.com.br
  • TECO 2020, a maior conferência da indústria de etanol de milho da América Latina. Conhecimento, network, muita discussão de qualidade e inovação! De 16 a 18 de novembro no site tecoexperience.com

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

um × dois =

X