fbpx

Produção de açúcar aumenta 55,96% em setembro

47,01% do volume de cana processado foi destinada ao adoçante

Reflexo da maior moagem, da melhor qualidade da cana-de-açúcar e do mix mais açucareiro, a produção de açúcar aumentou 55,96% nos 15 primeiros dias de setembro, com 3,18 milhões de toneladas fabricadas neste ano. No agregado desde o início da safra, a produção de açúcar atingiu 29,07 milhões de toneladas, ante 20,05 milhões de toneladas em igual período de 2019.

Como reflexo, 47,01% da cana-de-açúcar foi destinada ao açúcar até o dia 16 de setembro, ante 35,43% registrados na mesma data de 2019.

“A mudança no mix de produção reflete a maior competitividade do adoçante brasileiro no mercado internacional. Com cerca de 75% da safra processada, a produção de açúcar apresenta aumento de 9,00 milhões de toneladas, sendo aproximadamente 6,8 milhões decorrentes da alteração do mix de produção e o restante do avanço de moagem e da melhor qualidade da matéria-prima colhida”, destaca o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues.

LEIA MAIS > Exportações de etanol mantém ritmo aquecido em setembro

O volume fabricado de etanol, por sua vez, registrou queda de 4,65% com um total de 2,29 bilhões de litros na primeira quinzena de setembro. Desse total, o volume de etanol anidro aumentou 9,01%, atingindo 745,37 milhões de litros. A produção quinzenal de hidratado apresentou queda de 10,07%, totalizando 1,54 bilhão de litros.

No acumulado desde o início da safra até 16 de setembro, a produção de etanol alcançou 21,26 bilhões de litros, dos quais 14,90 bilhões de litros de etanol hidratado e 6,36 bilhões de litros de etanol anidro.

Em relação ao etanol de milho, foram fabricados 99,88 milhões de litros na primeira metade de setembro de 2020. No agregado desde o início da safra 2020/201 até 16 de setembro, a produção somou 1,01 bilhão de litros, aumento de 94,47% sobre o volume apurado para o mesmo período de 2019.

A produção de etanol de milho tem apresentado crescimento e deve ampliar a oferta do biocombustível nos próximos meses de safra. “Uma mudança que observamos nessa quinzena foi o maior direcionamento da matéria-prima para a fabricação de etanol anidro: a produção quinzenal de anidro de milho chegou a 45,56 milhões de litros na primeira quinzena, contra cerca de 26 milhões de litros nas quinzenas anteriores”, esclareceu Rodrigues.

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dez + três =

X