fbpx

Prefeitos ‘pressionam’ pela venda de usinas do João Lyra

Usina Triálcool, desativada em 2013
Usina Triálcool, desativada em 2013

Os prefeitos Diógenes Borges e Dinair Isaac, respectivamente das cidades mineiras de Canápolis e de Capinópolis, encabeçam grupo de lideranças políticas em visita nesta quarta-feira (06/07) ao Tribunal de Justiça de Alagoas.

A visita junto a desembargadores é para sensibiliza-los da urgência, segundo os chefes dos Executivos, da venda das usinas de cana-de-açúcar Triálcool e Vale do Paranaíba, da Massa Falida do Grupo João Lyra.

As unidades ficam no Pontal do Triângulo Mineiro e a região, na qual ficam Canápolis e Capinópolis, vivem grave crise econômica e social com o fechamento das unidades em 2013.

Os prefeitos explicaram para a GazetaWeb e para o Alagoas 24 horas que há empresários interessados em comprar as usinas do Grupo João Lyra. Mas temem que a família do empresário João Lyra impeça o acordo, com o objetivo de dar o calote nos trabalhadores, fornecedores e prefeituras.

O indício para este questionamento foi o ajuizamento de uma ação de interdição parcial do ex-deputado federal e acionista majoritário João Lyra, perpetrada por sua filha Lourdinha Lyra. Ela solicitou, na semana passada, a substituição do administrador (João Lyra), abrindo caminho para a reconvolação de recuperação judicial – uma espécie de ‘passo atrás’ no processo de falência – o que permitiria um plano de reorganização do Grupo João Lyra em até 10 anos sem a necessidade de pagamento imediato das indenizações aos trabalhadores e quitação dos demais credores.

Pagamento 

Cerca de três mil pessoas trabalhavam nas duas unidades industriais – e não receberam suas indenizações com a paralisação do funcionamento. Além disso, juntos os dois municípios aguardam o pagamento em impostos de cerca de R$ 10 milhões.
Segundo os prefeitos, outro fator que pesa para que o processo não se arraste mais é que os ativos das usinas estão sendo depreciados pela ação do tempo, bem como depredados e até mesmo furtados. “
É a sétima vez que uma comitiva mineira visita Alagoas na tentativa de resolver o impasse que se arrasta na Justiça alagoana. Da última vez que estiveram aqui saíram certos de que a negociação seria finalizada.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X