fbpx

“Política de preço conduzida pela Petrobras é mortal para setor”, afirma Aécio Neves

img8009

Em visita a Ribeirão Preto, na noite de sexta-feira, última, 23 de agosto, o presidente nacional do PSDB, e possível candidato a presidência da república, Senador Aécio Neves, disse que a atual política de preços conduzida pela Petrobras foi mortal para o setor sucroenergético.

“O setor passa por uma crise enorme e sofre também um descaso gigante do Governo Federal. Tivemos ao longo dos últimos 12 meses o fechamento de pelo menos 30 usinas, e outras poderão ser fechadas até o final deste ano. Isto, porque não há planejamento por parte do Governo, que prefere investir no combustível fóssil, muito mais poluente, sobre o qual nós não detemos o controle, e abandonou um dos projetos de maior êxito construído nas últimas décadas”, afirmou Aécio.

O senador disse durante a entrevista coletiva, que há muita disposição do PSDB em dialogar com o setor e formular políticas para o futuro. “É o que estou buscando fazer. Devo me encontrar aqui em Ribeirão Preto com alguns representantes do setor para ouvi-los”, comentou.

Aécio, que veio ao município dar início a uma série de encontros regionais que fará pelo país, também discorreu sua opinião sobre a volta da Cide – Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico, na gasolina. “A Cide foi aprovada quando eu era líder do governo na gestão presidencial do Fernando Henrique Cardoso, e é um dos caminhos para realavancar o setor sucroenergético, mas não é o único. Precisa haver planejamento, garantia de preços, estímulos ao produtor e não riscos permanentes, como vem acontecendo hoje, e uma gestão mais eficiente e mais realista na Petrobras, que não existe, desde que o PT a aparelhou de forma nociva aos interesses do país e especialmente aos do segmento sucroenergético”, criticou.

Quanto a matriz energética do país, Aécio disse que estando no governo o PSDB quer priorizar uma matriz renovável, e que os investimentos serão focados nisto.

Biagi descarta volta da Cide mas crê em aumento da gasolina

O emblemático empresário do setor Maurílio Biagi Filho – presente no encontro dos correligionários tucanos – garantiu que um aumento da gasolina nos próximos meses será inevitável. “A Petrobras está perdendo competitividade, por isto, será inevitável um aumento da gasolina. Mas descarto a volta da Cide, já que o aumento do combustível seria ainda maior com a volta do tributo. Mas é um absurdo o fato de se ter retirado a Cide de um produto como a gasolina. Isto nunca poderia ter acontecido”, indignou-se.

Para Maurílio Biagi, o setor deveria ser prioridade no governo, como prometeu a presidente Dilma, meses atrás, em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da Republica. “A promessa não foi cumprida. E não há nenhum projeto que demostre que isto irá acontecer”, enfatizou. Perguntado se uma mudança partidária no governo federal em 2014 pode ser positiva ao setor, o empresário respondeu: “Toda alternância de poder é importante”.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X