fbpx

Plano de Recuperação Judicial do Grupo Moreno é aprovado

Assembleia de credores aconteceu nesta sexta-feira (13)

O Grupo Moreno teve o plano de recuperação judicial aprovado na noite desta sexta-feira (13), em Assembleia Geral de Credores, que durou mais de oito horas.

Embora ainda precise ser homologado pelo Poder Judiciário, é uma vitória que está sendo comemorada tanto pela empresa quanto por credores e sociedade, visto que a companhia, que emprega mais de cinco mil pessoas e tem influência na economia de 52 municípios, ganha fôlego para continuar suas atividades.

Em recuperação judicial desde setembro de 2019, o grupo tem dívida total de mais de R$ 2 bilhões, envolvendo mais de 7 mil credores. A companhia tem três usinas no interior de São Paulo: a Central Energética Moreno Açúcar e Álcool Ltda (CEM), localizada em Luiz Antônio; Central Energética Moreno de Monte Aprazível Açúcar e Álcool Ltda (CEMMA), em Monte Aprazível (SP) e Coplasa – Açúcar e Álcool Ltda. (Coplasa), em Planalto (SP). Além das empresas Agrícola Moreno de Luiz Antônio (AMLA), Agrícola Moreno de Nipõa Ltda (AMN) e Planalto Bioenergia Spe Ltda.

LEIA MAIS > Grupo registra lucro líquido de R$ 155,5 milhões no 6M21

“A nova versão do plano de recuperação judicial foi aceita quase que por unanimidade pelas quatro classes de credores”, disse o advogado Donaldo Luís Paiola, que representa cerca de 750 fornecedores de cana e parceiros agrícolas (arrendatários de terra), credores do grupo.

O plano aprovado prevê o pagamento de R$ 900 milhões em até 24 meses, acrescido de mais R$100 milhões, nos doze meses seguintes, compondo assim um pagamento total de R$1 bilhão aos credores concursais e extraconcursais em até 3 anos. Para isso, a companhia poderá se valer de novas captações de recursos, como alienar participação societária e outros ativos, como vender até duas unidades no prazo de até 24 meses para quitação das dívidas.

Segundo Paiola, no caso do pagamento das dívidas com os fornecedores e parceiros, que gira em torno de R$ 80 milhões, será paga da seguinte maneira: as dívidas de até R$ 19 mil serão pagas em até 30 dias da homologação do plano. Fornecedores e parceiros que têm dívidas entre R$ 19 mil e R$ 100 mil, receberão em 24 parcelas iguais. Já quem tem dívida acima de R$ 100 mil receberá em 36 parcelas, sendo 30% do valor no primeiro ano, 30% no segundo e 40% no terceiro.

LEIA MAIS > Sistema revoluciona a gestão de documentação de terceiros na Usina Ferrari

“A aprovação do plano do Grupo Moreno, que foi maciça pelos credores, representa um passo muito importante para sua recuperação e para toda a região. Esperamos que seja o primeiro passo de uma nova fase de sucesso”, conclui Fabiana Solano, sócia da área de Recuperação Judicial do Felsberg Advogados, escritório de advocacia de São Paulo (SP), que representa o Grupo.

SAIBA MAIS >
Grupo Moreno pede recuperação judicial
Plano de recuperação do Grupo Moreno pode ser aprovado amanhã (11)
Assembleia de credores do Grupo Moreno é suspensa

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

10 − quatro =

X