fbpx
JornalCana

Pesquisador explica como mitigar os efeitos da quebra de safra na área agrícola

Ele também é professor e consultor em manejo de plantas daninhas

Tecnologia pode mitigar efeitos da quebra de safra

Com a safra 21/22 começando e uma previsão de quebra de safra anunciada, produtores de cana-de-açúcar e gestores de usinas buscam soluções para mitigar os efeitos dos potenciais prejuízos.

Como não há dúvida de que as tecnologias voltadas para a área agrícola contribuíram muito com o aumento de produtividade da cana nas últimas safras e é certo que na 21/22 elas serão essenciais para manter a sustentabilidade da produção, principalmente através da redução de custos esses recursos tecnológicos ganham importância ainda maior nesse início de safra. 

LEIA MAIS > Produtor estima número alarmante de quebra de safra na 21/22

Mas para que esses bons resultados se concretizem, é preciso romper com os pragmatismos contrários ao uso das novas tecnologias. Essa é a opinião do professor, pesquisador e consultor em manejo de plantas daninhas, Pedro Christofoletti. Inclusive ele destaca uma dessas tecnologias. Trata-se de uma molécula usada para a gestão da matocompetição na cana. 

Produzido pela Bayer, o Alion é um herbicida inovador que recentemente ampliou suas recomendações, com o aumento das indicações de uso para outras plantas daninhas, a partir de um faixa maior de dosagens por hectare, permitindo ao produtor mais possibilidades de manejo das plantas invasoras. 

LEIA MAIS > Quebra de safra prevista para o Centro-Sul deverá se concentrar no etanol

“Mais de uma dezena de espécies de plantas daninhas são controladas com Alion, incluindo aquelas de difícil controle, que recentemente tem aumentado a sua incidência. As plantas daninhas frequentemente encontradas nos canaviais do Centro Sul e Nordeste canavieiros, são amplamente controladas pelo Alion 500 SC. Sendo que além de sinergia e especificidade de controle para algumas espécies de folhas estreitas, ocorre a extensão do período de controle, reduzindo escapes e os bancos de sementes de folhas estreitas e largas, enquanto o Alion age como efeito herbicida em plantios e socas úmidas”, explica o professor. 

Especialistas e usuário de usinas debatem fatos e mitos sobre o herbicida

Buscando esclarecer várias destas possibilidades para a proteção do canavial, um timaço de especialistas e usuários foi convidado para colaborar no entendimento sobre a adoção do Alion como tratamento herbicida tanto no Centro/Sul quanto no Norte/Nordeste durante uma Superlive que acontece na próxima quarta-feira, 19/5, às 19h.

Com o tema Alion, Amplamente Eficaz: Fatos e Mitos, a superlive terá as presenças de:

Caio Carbonari, professor e pesquisador da UNESP/Botucatu
Luis Gustavo Nunes, gerente de Desenvolvimento Agrícola da Usina Alta Mogiana
Paulo Donadoni, líder de desenvolvimento de mercado Brasil e América Latina para Cana da Bayer
Pedro Christofoletti, professor, pesquisador e consultor em manejo de plantas daninhas
Ricardo Delarco, engenheiro agrônomo e produtor de cana 

Para participar basta entrar no link do canal do YouTube do JornalCana através desse link: bit.ly/alionfatosemitos

ATENÇÃO! Participe também do sorteio de 5 inscrições para o Curso de Manejo Eficaz de Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar – Ministrado pelo Professor Pedro Christoffoleti. Para isso, preencha o formulário clicando nesse link: https://go.bayer.com/BayerJornalCana

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram