fbpx

Oficializada a primeira venda de usina de cana em 2016

negO Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) oficializou a primeira venda de uma usina de cana-de-açúcar em 2016. Trata-se da unidade localizada em Limeira Do Oeste (MG), então pertencente a Archer Daniels Midland (ADM), adquirida pela Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA).

A aquisição da usina foi feita pela CMAA no primeiro trimestre do ano, mas o negócio dependia de aprovação pelo Cade. O Portal JornalCana apurou que o presidente do Conselho, Arthur Sanchez Badin, presidiu sessão do colegiado que aprovou a negociação.

A aprovação pelo Cade foi para ato de concentração requerido pela CMAA e pela Zam Ventures L. P., integrante da Ziff Brothers Investments, L. L. C..

O relator do processo é o conselheiro Vinícius Marques de Carvalho. Ele avalizou o requerimento, decisão que obteve aprovação unânime do plenário do Cade.

A unidade de Limeira do Oeste, então CEAA-ADM, foi adquirida pela Archer Daniels do Grupo Cabrera, controlado por Antônio Cabrera, ex-ministro da Agricutura (no governo Collor). A capacidade de moagem é de 1,5 milhão de toneladas por safra.

Leia também: Usina do interior paulista volta a moer cana-de-açúcar

Conheça mais detalhes da negociação:

1 – O anúncio da compra da unidade da ADM pela CMAA foi divulgado no começo de maio deste ano

2 – O valor do negócio não foi divulgado

3 – A previsão é de a ADM chegar a 120 milhões de litros de etanol na safra 2016/17

4 – De acordo com o fundador e presidente do Conselho de Administração da CMAA, José Francisco de Fátima Santos, as negociações com a ADM foram concluídas no final de março. “A princípio vamos iniciar a produção com 120 milhões de litros de etanol na safra atual, mas em 2017 vamos expandir para 160 milhões de litros. Para os próximos anos pretendemos fazer a implantação de uma destilaria, que elevará a capacidade para 200 milhões de litros de etanol ao ano. O investimento seria em torno de R$ 70 milhões a R$ 80 milhões. Conforme os rumos do mercado, também existe a possibilidade de instalar uma fábrica de açúcar”, explicou José Francisco, em maio, para a imprensa.

5 – Na principal unidade do grupo, a Usina Vale do Tijuco, a produção na safra da CMAA 2016/17 será ampliada. O objetivo é esmagar 3,85 milhões de toneladas de cana, alta de 3% frente ao volume de 3,75 milhões de toneladas processadas no ano safra anterior. Para a próxima safra a expectativa é trabalhar com toda a capacidade instalada que é de 4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Nesta safra, cerca de 60% do volume de cana será destinado à fabricação de açúcar e 40% para a geração de etanol. A preferência pelo açúcar se deve às perspectivas mais positivas para o produto, que está com a demanda mundial maior que a produção e preços elevados.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X