JornalCana

Minas Gerais anuncia investimento de mais de R$ 11 bilhões no setor de biocombustíveis

Parceria envolve 12 empresas do segmento sucroenergético vinculadas à Siamig

O governo de Minas Gerais e a Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig) anunciaram  um investimento conjunto de mais de R$ 11,3 bilhões no setor de biocombustíveis.

Este aporte maciço visa impulsionar a produção de biocombustíveis e açúcar no estado e promete gerar cerca de 1,6 mil empregos diretos, com ênfase especial na região do Triângulo Mineiro.

Do total do investimento, R$ 11,3 bilhões provêm de 12 grupos econômicos, que têm direcionado seus recursos para toda a cadeia produtiva de energia renovável, desde o cultivo até a geração de energia. A ambição por trás desse empreendimento é que o estado de Minas Gerais avance significativamente na produção de biocombustíveis e no esforço de descarbonização da economia, promovendo uma transição ambientalmente responsável.

LEIA MAIS > Safra do Centro-Sul deve ser maior do que o previsto

“Quero manifestar o meu otimismo com o setor sucroenergético e dizer que precisamos mostrar mais as vantagens que ele oferece. Temos aqui uma solução barata. O carro elétrico vai ter o seu lugar, mas precisamos deixar claro que o carro movido a etanol é tão bom ou até melhor para uma economia verde”, disse o governador Romeu Zema

“No início desta semana, fui a Nova Iorque porque Minas Gerais foi reconhecido como um dos estados no mundo que estão fazendo a lição verde. Fomos o único representante do país e da América do Sul. E, durante as minhas viagens, ninguém falou em etanol. Então, temos uma grande oportunidade para mostrar esse recurso. Nenhum país avançou tanto quanto o Brasil em produtividade de cana e fabricação em motores híbricos”, completou.

Na ocasião, o governador ainda conheceu o “carro mais sustentável do mundo”, que pertence à Siamig. O carro – que é elétrico, mas também funciona à base de etanol – contribui para redução de emissão de gases e, consequentemente, preservação ambiental.

LEIA MAIS >“Cogeração é solução eficaz para diversificação da matriz energética”

De acordo com Mário Campos, presidente da Siamig, um dos projetos em destaque é a construção de um terminal rodoferroviário em Iturama, no Triângulo Mineiro, que será interligado ao trecho da Ferrovia Norte-Sul operada pela Rumo, a principal empresa de ferrovias do Brasil. Esse terminal facilitará o transporte ferroviário até o Porto de Santos, um marco essencial para a segunda maior produção de açúcar do país, que é Minas Gerais. Campos enfatizou a importância desse investimento para a logística de escoamento da produção.

Além do terminal, o plano de investimento abrange a expansão das áreas de cultivo, resultando em maior produtividade. Outros investimentos incluem a modernização da irrigação, a diversificação da produção na agroindústria, com foco na produção de etanol, açúcar e bioenergia em geral. A área de estocagem, automação, reforma e expansão das plantas industriais também receberá aportes substanciais. Campos mencionou ainda investimentos em maquinaria, como colhedoras e caminhões, para garantir uma infraestrutura completa e eficaz para a operação.

LEIA MAIS > Megaevento internacional no Rio debaterá o agronegócio e meio ambiente

Minas Gerais lidera a transição energética no Brasil e já figura entre os maiores produtores de etanol do país, sendo que 93% da produção das usinas são destinados ao mercado interno. São 36 unidades industriais do setor sucroenergético, com maior concentração no Triângulo Mineiro, onde estão instaladas 22 unidades. Ao todo, o estado conta com 108 municípios canavieiros que, juntos, plantam 1 milhão de hectares de cana, empregando cerca de 180 mil pessoas.

(Fotos: Agência Minas)

 

 

 

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram