fbpx

Mexicanos conhecem melhoramento genético, manejo e sanidade da cana no país

Durante quatro dias, nove pesquisadores mexicanos puderam conhecer de perto o melhoramento genético, fitossanidade e manejo da cultura da cana em algumas regiões do Nordeste. Esse temas fizeram parte da capacitação sobre a cultura da cana-de-açúcar para os membros do Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuárias (INIFAP), de 23 a 26 de setembro, em Alagoas. Foi realizado pela Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), através de sua Unidade de Execução de Pesquisa de Rio Largo, na região metropolitana de Maceió. Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer detalhes do programa de melhoramento genético mantido pela Ridesa e parceiros em Alagoas, além do banco de germoplasma, cruzamentos em cana e visitaram plantações de cana.

Os pesquisadores conheceram ainda o panorama produtivo da cana no Brasil e foram apresentados a diversos aspectos técnicos da cultura, como prevenção e manejo de pragas e doenças, genótipos resistentes, citogenética, conservação de pólen, tolerância a estresse hídrico, fertilização, irrigação e manejo geral da cultura.

Eles visitaram a Estação de Cruzamento da Serra do Ouro, mantida pela da Ridesa em Murici, a Usina Coruripe, na cidade de mesmo nome e a Fazenda Santo Antônio, maior inovadora em plantio mecanizado na região, utilizando as tecnologias Plene e Cane Seed em parceria com a multinacional Syngenta.

Na estação da Ridesa, eles puderam ver de perto o passo a passo para o cruzamento e obtenção de cultivares melhoradas, como o plantio em campo e masculação, coleta de pólen e cruzamento de machos e fêmeas em campânulas especiais.

Na Usina Coruripe, viram detalhes e dados do processo industrial da produção de açúcar, etanol e geração e distribuição de energia, tanto em sequeiro como com irrigação, além de parcelas com colheita manual pós-queima e mecanizada. O coordenador de planejamento agrícola, Valdemir Tenório, conduziu os participantes à estação de controle biológico, aos sistemas de irrigação e a estância de responsabilidade socioambiental, onde são produzidas 5 mil sementes de árvores nativas para reflorestamento.

Na fazenda Santo Antônio, foi possível ver em campo as inovadoras máquinas desenvolvidas a partir das engenhosas ideias do proprietário, o experiente produtor Edílson Maia, além dos processos de produção da semente, silagem para ração animal, plantio mecanizado e irrigação.

Para a líder do programa de pesquisa em cana-de-açúcar do Inifap, a pesquisadora Marian Hernandez, o curso foi uma excelente oportunidade para todos os nove participantes, que atuam em unidades de diversas regiões do México.

“Pudemos ver que muitos dos problemas fitossanitários são semelhantes, mas em termos de melhoramento genético ainda temos muito a avançar, pois o programa desenvolvido aqui é bem avançado e vale a pena implementar no nosso país”, afirmou.

Segundo os organizadores, a interação entre os pesquisadores mexicanos e brasileiros durante o curso serviu de base para que entendimentos sejam avançados no sentido de promover um intercâmbio de pesquisa em colaboração para desenvolver a cultura da cana tanto no México quanto n Brasil.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X