Mercado

Zoneamento agroecológico da cana-de-açúcar começa em fevereiro

O zoneamento agroecológico para a expansão do plantio da cana vai ser publicado em fevereiro. Além de identificar as áreas aptas ao cultivo, o governo federal deve criar uma lei determinando a eliminação das queimadas em áreas mecanizáveis.

Durante quase duas horas, os ministérios da Agricultura, Meio Ambiente e Minas e Energia estiveram reunidos nessa quarta, dia 21, para discutir sobre o tema. O plantio da cana – que já ocupa sete milhões de hectares – será expandido para outros seis milhões em várias regiões. O objetivo é atender a determinação do presidente Lula de aumentar em 11% ao ano a produção de etanol no país. Só ficam de fora os biomas Amazônia, Pantanal e as áreas de vegetação nativa.

Uma lei deve eliminar as queimadas, usadas para limpar a palha e facilitar a colheita manual, até 2020. No ano que vem, a redução precisa chegar a 20%, pra garantir a proteção do meio ambiente e a comercialização do etanol brasileiro.

– O nosso etanol tem que ser 100% verde. Primeiro, porque é bom para o Brasil, pro meio ambiente. Segundo: se não for totalmente verde, os nossos adversários (mesmo os não ambientalistas, os adversários por razões econômicas) vão seguramente usar o argumento ambiental pra tentar colocar um entrave, uma barreira, ao etanol brasileiro. Então, a nossa obrigação é que o etanol tem que ser 100% verdinho – declarou o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

Banner Evento Mobile