Mercado

Volkswagen segue GM e entra na onda dos triflex

Depois do sucesso dos carros bicombustíveis, ou flex, que já venderam mais de 1 milhão de unidades, as montadoras ampliam a oferta de modelos triflex, que podem rodar, além do álcool ou gasolina, com gás natural (GNV). A Volkswagen começa a oferecer esta semana todos os veículos da marca, exceto o Fox, com a terceira opção de combustível. Até agora, a General Motors era a única a dispor da tecnologia no modelo Astra, lançado no fim do ano passado.

A diferença é que os bicombustíveis saem da linha de montagem com a tecnologia. Já a inclusão do sistema a gás será feita pela White Martins, em parceria com a Volks, mas o carro terá todas as garantias de fábrica. A conversão custará entre R$ 3,5 mil e R$ 4,3 mil, dependendo do modelo, e fica pronta em uma semana.

Os veículos têm dois circuitos de combustíveis, um para o líquido, que pode ser abastecido com gasolina, álcool ou a mistura de ambos, e outro para o gasoso (GNV). O motorista seleciona a injeção do combustível que deseja utilizar por meio de uma chave no painel do veículo.

Segundo o Centro de Tecnologia do Gás (CTGás), o custo médio da conversão em oficina credenciada é de R$ 3,5 mil. Temos preço competitivo, aliado à garantia de fábrica e à qualidade de nossos produtos, diz o diretor de Vendas e Marketing da Volks, Paulo Sérgio Kakinoff.

A parceria com a White Martins possibilita à montadora operar de acordo com a demanda do mercado, sem precisar produzir um volume fixo de modelos triflex para viabilizar custos, explica Kakinoff. Os potenciais consumidores são taxistas e frotistas que rodam em média 100 quilômetros por dia. Nessas condições, o retorno do gasto com a conversão ocorre num prazo médio de um ano.

De acordo com cálculos da Volks, um Gol 1.0 que roda por dia 150 km, considerando 22 dias úteis, totalizará 3.300 quilômetros rodados no mês. Se for abastecido com gasolina, o gasto mensal aproximado será de R$ 620. Com o GNV, o gasto mensal cairia para R$ 260. Se for abastecido com álcool, ficaria em R$ 363. O custo dessa conversão é de R$ 3.547,96.

Informações do governo de que o País pode adotar medidas para privilegiar o uso do gás industrial, em detrimento do veicular, e de reajustes de preços não interferem nos planos da Volks. A marca está preparada para atender ao consumidor qualquer que seja o combustível que ele escolher ou a política energética que o governo adotar, diz Kakinoff.

A GM vendeu, até agora, mil unidades do Astra Multipower. Segundo a montadora, foi o primeiro carro multicombustível oferecido de série. A inclusão do sistema de GNV é feita pela Rodagás, que faz a adaptação no modelo flex com tecnologia da Bosch.

BLINDAGEM

Outra novidade da Volks é a blindagem de fábrica, em parceria com a Inbra Blindados.

O serviço estará disponível para o Golf, Passat, Variant, Touareg, Saveiro e Polo 2.0, a preços que vão de R$ 34,5 mil a R$ 66,9 mil. Será uma blindagem capaz de suportar projéteis de quase todas as armas curtas. A blindagem é feita em 30 dias. A Associação Brasileira de Blindagem prevê que serão blindados este ano 3,8 mil veículos, 26% a mais que em 2004.

Banner Revistas Mobile