Mercado

Vendas de carros flex garantem consumo e boas perspectivas

Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgados nesta segunda-feira (09/02/2009) apontando para uma recuperação nas vendas da indústria automotiva em janeiro, confirmam o posicionamento da UNICA desde o início da crise econômica mundial. O mercado interno continua aquecido, apontando para uma demanda crescente pelo etanol, e apesar da situação atual gerar preocupações os fundamentos do setor são bons e as perspectivas também.

“As vendas de veículos flex um dos maiores impulsionadores do crescimento do setor aumentaram 3,01 % em relação a dezembro do ano passado”, informa Antonio de Pádua, diretor técnico da União Nacional da Indústria de Cana-de- Açucar.

Os modelos flex se mantiveram na dianteira das vendas, respondendo por 86,2% dos 189.712 automóveis e comerciais leves comercializados, pouco abaixo dos 87,2% registrados no mês anterior. Ao todo, foram vendidos em janeiro 163.545 veículos flex. “Desta nova frota de veículos, 25% substituirá automóveis antigos movidos a gasolina e os 75% restantes são novos veículos que entram em circulação”, afirma Pádua. “Esta retomada nas vendas reforça as boas perspectivas para o setor no mercado interno e demonstra que o consumidor brasileiro se rendeu definitivamente à praticidade do modelo bicombustível e aos benefícios energéticos e ambientais oferecidos pelo etanol”.

Os números da Anfavea mostram que depois de cinco meses de quedas consecutivas, as vendas totais de veículos aumentaram 1,5% e a produção 92,7% em relação a dezembro do ano passado. O destaque do mês foi a General Motors, cujas vendas de automóveis e comerciais leves saltaram de 29.310 em dezembro para 38.151 unidades em janeiro. A Fiat registrou vendas de 43.312 unidades, alta ante as 42.567 unidades de dezembro, o que a coloca em primeiro lugar no País.Em seguida, Volkswagen aparece em segundo lugar, com comercialização de 41.134 unidades no mês passado contra vendas de 40.374 unidades em dezembro. A Ford teve vendas praticamente estáveis, passando de 22.603 em dezembro para 22.561 em janeiro. Já as exportações de veículos novos caíram 48,1% em volume e 50,5% em valor sobre dezembro do ano passado. O nível de emprego no setor automotivo foi levemente impactado, com uma redução de 1,5% nos postos de trabalho em janeiro, que totalizaram 126.188 empregos.

As informações partem da assessoria de imprensa da Unica.

Banner Evento Mobile