Usinas

Sistema TempoCampo projeta aumento da próxima safra de cana-de-açúcar

Condições do tempo no verão de 2022 serão fundamentais para a consolidação das estimativas

Sistema TempoCampo projeta aumento da próxima safra de cana-de-açúcar

As primeiras estimativas do Sistema TempoCampo, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq /USP), para a safra 22/23 canavieira no Centro-Sul apontam para uma recuperação da produção de cana-de-açúcar no Centro-Sul brasileiro, em relação à safra 2021/22, com valores variando entre 530 milhões e 578 milhões de toneladas entre os cenários pessimista e otimista respectivamente.

Na safra passada, a produção de cana variou entre 516 milhões e 520 milhões de toneladas reportadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) e pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA).

Depois de uma safra de grandes desafios para o setor sucroenergético brasileiro, com seca prolongada e geadas severas no Centro-Sul, as condições para a próxima safra apresenta uma tendência climática diferente.

Vale destacar que na safra 2021/22 foram registrados três eventos consecutivos de geada na cultura, que resultou negativamente na produção de cana-de-açúcar, sobretudo para as regiões do PR, SP e MS.

Tais previsões otimistas na produtividade estão ligados a uma melhora climática para a safra atual, com volumes de chuva bem distribuídos e consideravelmente superiores em relação à safra passada, que teve déficit hídrico elevado entre abril e setembro de 2020.

Os meses de outubro, novembro e dezembro de 2021, em contrapartida, registraram volumes de chuva superiores em relação ao ano passado, em praticamente todo o centro-sul, e as simulações probabilísticas realizadas pelo TempoCampo destacam uma boa chance de termos condições mais favoráveis em relação à safra anterior.

O fenômeno La Niña deve trazer chuvas abaixo da média para o Sul do Brasil, mas até o momento o Centro-Sul, que está numa região de transição climática, não foi impactado pela falta de chuvas.

As condições do tempo no verão de 2022 serão fundamentais para a consolidação deste número, mas mesmo num cenário pessimista a projeção é de uma produção maior no próximo ano, indicando para a recuperação dos canaviais impulsionada pelo clima na safra do próximo ano.

Banner Revistas Mobile