Usinas

Raízen abre processo seletivo para curso de Operador de Produção de E2G

Com apoio do Senai, companhia busca capacitar profissionais para atuarem em suas operações

Raízen abre processo seletivo para curso de Operador de Produção de E2G

A Raízen abriu o processo seletivo para o curso de Operador de Produção de Etanol de Segunda Geração na cidade paulista de Valparaíso. As aulas, que serão ministradas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), contam com o apoio prático de profissionais da companhia e visam desenvolver potenciais colaboradores para atuarem nas plantas dedicadas à produção de bioetanol.

Para se cadastrar basta acessar o endereço virtual do processo seletivo com a localidade de preferência por meio dos sites de: Valparaíso vespertino e noturno e Barra Bonita noturno.

LEIA MAIS > Tereos possui 36 vagas abertas para motoristas canavieiros

A avaliação será dividida em duas partes: Prova de Múltipla Escolha e Entrevista. Serão convocados para a primeira etapa os primeiros 160 candidatos inscritos no processo e a prova, que será realizada no dia 28 de outubro de 2023, terá a duração de três horas e questões de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências. Já na segunda fase, os 80 candidatos com melhores desempenho terão entrevistas agendadas e serão avaliados por uma comissão técnica da Raízen.

Ao final da avaliação, 40 candidatos serão selecionados a integrarem o curso de profissionalização, que será dividido em duas turmas, uma no período da tarde, que será de terça a sexta, das 13h30 às 17h, e a outra à noite, de segunda a quinta, das 18h30 às 22h30.

A jornada será dividida entre teórica e prática, com aulas sobre Bancada para a área de Química, Planta de Simulação de Instrumentação e visitas à Raízen com o acompanhamento de profissionais da companhia. Após a conclusão do aprendizado, o aluno torna-se apto a exercer a função de Operador de Produção de Etanol de Segunda Geração e pode vir a se tornar um colaborador da Raízen.

LEIA MAIS > Indonésia aposta no etanol para expandir renováveis

Este foi o caso de Emili Vitoria Ribeiro Ferreira, Operadora de E2G, que se formou na primeira edição do curso de capacitação de especialistas para atuarem na produção de etanol de segunda geração. Emili afirma que “estar no primeiro curso do mundo de formação de profissionais de E2G foi uma experiência incrível. Foi repleta de aprendizagens e de conhecimentos, e me sinto grata por ter participado desse projeto fantástico, que me proporcionou uma excelente oportunidade para iniciar minha carreira profissional”.

Lidiane Jacob da Silva Souza, também Operadora de E2G, destaca que o que foi passado em sala é amplamente utilizado em sua função. “Foi um prazer participar do curso, pois além do ganho educacional, ele me abriu portas. Hoje tenho a oportunidade de colocar em prática todo o conhecimento que adquiri”, afirma.

A companhia contratou 84,62% dos estudantes da primeira turma ministrada.

LEIA MAIS > Evandro Gussi, conquista o troféu “Ethanol Man of the Year” no MasterCana Award

Por meio de uma Trilha de Aprendizagem, a Raízen, única produtora do biocombustível em escala industrial do mundo, busca incentivar competências relativas aos seus processos operacionais. Com estas oportunidades a companhia pretende incentivar a formação de mão de obra qualificada, bem como garantir o melhor desempenho nas atividades para as quais os potenciais funcionários serão designados.

O E2G é produzido a partir de uma tecnologia proprietária da empresa e utiliza como insumo o bagaço da cana-de-açúcar, biomassa extraída do processamento da cana na produção do etanol de primeira geração (1G) e açúcar. Isso torna o biocombustível um produto-chave na transição energética, podendo ser usado para diversos fins além da mobilidade.

“Entre os nossos pilares está a sustentabilidade e a ética, e por esta razão estamos investindo em capacitar pessoas que possam atuar na produção de biocombustível, mas que também propague a tecnologia para todos do seu entorno.

LEIA MAIS > Produção de açúcar totaliza 32,62 milhões de toneladas

Quando preparamos um candidato para um curso como esse, não estamos almejando apenas colaboradores, mas queremos também pessoas com a compreensão de que há alternativas sustentáveis e benéficas ao meio ambiente quando falamos de combustíveis”, afirma Camila Stefano, coordenadora de Tecnologias Sociais e Gestão de Territórios da Raízen.

Banner Revistas Mobile