Usinas

Imagens registram três onças-pintadas em área da biorrefinaria uisa em Mato Grosso

A presença da espécie é um indicador de qualidade ambiental no hábitat

Imagens registram três onças-pintadas em área da biorrefinaria uisa em Mato Grosso

Um funcionário da biorrefinaria Uisa, localizada em Nova Olímpia – MT, registrou o momento em que três onças-pintadas (Panthera onca), maior espécie de felino das Américas, bebiam água e circulavam calmamente em uma região de mata nas proximidades do canavial, na sede da companhia. (Assista o vídeo)

As imagens foram capturadas pelo líder da área de irrigação da Uisa, Josivaldo Diniz dos Santos. “Estava passando e vi a onça, achei bonito, parei o carro e comecei a filmar. Ela atravessou a estrada e vi mais duas, elas ficaram bebendo água, vieram bem perto do carro. A gente sempre vê onça no campo, geralmente a onça-parda, porém sempre de longe, a gente não consegue filmar porque elas entram muito rápido na mata, no canavial. Agora pertinho igual essas, foi a primeira vez”, relatou o profissional.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a onça-pintada integra a lista de espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, sendo classificada em situação de vulnerabilidade.

LEIA MAIS > Desembolso do crédito rural alcança R$ 318,7 bilhões em 11 meses

O  pesquisador da ONG Panthera, Fernando Tortato, analisou as imagens e acredita tratar-se de uma fêmea com filhotes. “Provavelmente é uma fêmea com dois filhotes já quase adultos. O registro mostra claramente o indivíduo do meio de maior porte e os outros dois um pouco menores. Isso é uma boa notícia. Demonstra que essa região possui onças-pintadas e que estão reproduzindo e tendo sua garantia de sobrevivência nessa região”, pontuou o pesquisador da ONG Panthera, organização que atua na conservação de diversas espécies de felinos no mundo.

Tortato explicou que as fêmeas costumam ficar com os filhotes por aproximadamente dois anos, período em que eles aprendem a caçar e a sobreviver sozinhos, tornando-se independentes da mãe.

Nos últimos anos, a companhia investiu no plantio de mais de um milhão de mudas de árvores nativas e na manutenção de 34 mil hectares de Floresta Amazônica e Cerrado, que hoje protegem 246 nascentes na região de cabeceiras do Pantanal.

LEIA MAIS > Bonsucro busca melhorar acesso do mercado a seus produtos certificados

Além de preservar os recursos hídricos, a localidade tornou-se um importante corredor ecológico para conservação da biodiversidade. As atividades de monitoramento da fauna, já identificaram 283 espécies, entre elas, animais que estão ameaçados de extinção como: queixada, lobo-guará, onça-parda, gato-mourisco, anta, tamanduá-bandeira e a onça-pintada.

A companhia mantém armadilhas fotográficas (câmeras trap) em diversos pontos e implementou em 2019 o Programa de Avistamento, com registros de fotos e vídeos capturados pelos funcionários na área de influência da companhia durante suas rotinas de trabalho. Todo o material alimenta a base de dados para formação do inventário da fauna local.

“Esses registros são indicadores ambientais importantes em nossa agenda de sustentabilidade. Demonstram que estamos conseguindo conciliar o processo produtivo com a preservação e conservação dos ecossistemas. Nos empenhamos para manter um hábitat favorável para a onça-pintada e outras espécies com grandes áreas preservadas de Floresta Amazônica e Cerrado, ricas em biodiversidade e recursos hídricos. As próprias lavouras de cana-de-açúcar contribuem, servindo de abrigo para diversos animais, entre eles, espécies que estão na cadeia alimentar da onça-pintada”, destacou o gerente de Sustentabilidade da Uisa, Caetano Henrique Grossi.

Banner Revistas Mobile