Usinas

Governo de Mato Grosso economiza mais de R$ 9 Milhões usando etanol na frota estadual

Preço dos litros de gasolina e etanol tem diferença média de 52,77%

(Foto: Divulgação Secom - MT - Christiano Antonucci)
(Foto: Divulgação Secom - MT - Christiano Antonucci)

Em 2023, o Governo de Mato Grosso registrou uma economia significativa de mais de R$ 9 milhões em gastos com combustível, isso devido a uma mudança estratégica na gestão da frota de veículos, onde a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag) optou por abastecer os veículos “flex” exclusivamente com etanol.

Atualmente, mais de 50% dos mais de 3,7 mil veículos do Estado utilizam etanol, o que representa mais de 1,8 mil carros com capacidade para usar tanto gasolina quanto etanol, mas que agora são abastecidos somente com este último.

LEIA MAIS > MS teve a 2ª maior produção de etanol de milho no Brasil na safra 2022/23

Basílio Bezerra, secretário da Seplag, destacou que essa medida tem impactos positivos tanto na economia do estado quanto no meio ambiente. Ele ressaltou que o etanol, além de ser mais econômico, é um biocombustível com baixa emissão de poluentes, alinhando-se aos esforços de sustentabilidade do governo estadual.

Segundo dados da Secretaria Adjunta de Patrimônio e Serviços da Seplag, o consumo de etanol alcançou quase 4,7 milhões de litros, totalizando uma despesa de pouco mais de R$ 17,7 milhões. Se esses veículos fossem abastecidos com gasolina, o gasto seria quase R$ 26,7 milhões, resultando em uma economia de R$ 9 milhões.

Basílio explicou que a viabilidade econômica do abastecimento com etanol é determinada pela comparação do preço do litro de etanol com o da gasolina. Se essa divisão resultar em um valor inferior a 70%, o etanol se torna a opção mais vantajosa. Por exemplo, se o etanol custa R$2,95 e a gasolina R$5,59, a divisão resulta em um percentual de 52,77%, confirmando a vantagem econômica do etanol.

LEIA MAIS > Clima adverso provoca perdas de produtividade na safra 2024/25

Incentivo à Sustentabilidade Econômica

O governo de Mato Grosso tem incentivado a produção de etanol por meio de políticas fiscais favoráveis, como descontos no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para as biorrefinarias do estado. Em dezembro de 2023, o Conselho Deliberativo dos Programas de Desenvolvimento de MT (Condeprodemat) aprovou mudanças para aumentar esses incentivos.

Esses esforços têm impulsionado o setor de biocombustíveis em Mato Grosso, que já é o terceiro maior produtor de etanol no país, ficando atrás apenas de São Paulo e Goiás. O estado tem visto um aumento na produção de etanol de milho, que agora representa cerca de 75% da produção total.

LEIA MAIS >  Agro paulista fecha balança comercial de janeiro com superávit de US$ 1,7 bi

De acordo com estimativas da BioindMT, a produção de etanol em Mato Grosso na safra 23/24 pode chegar a 5,3 bilhões de litros, um aumento de 23% em comparação com a safra anterior. Essa produção inclui etanol derivado tanto de cana-de-açúcar quanto de milho.

Além do combustível, o processo de produção de etanol gera subprodutos valiosos, como bagaço, vinhaça e torta de filtro da cana-de-açúcar, e DDG (grão seco de destilaria) do milho, que são utilizados em diversas aplicações, desde agricultura até alimentação animal na pecuária de corte brasileira.

Banner Revistas Mobile