Usinas

DATAGRO projeta 38,30 milhões de toneladas de açúcar no Centro-Sul

Volume representa crescimento de 13,1% em comparação com a safra anterior

DATAGRO projeta 38,30 milhões de toneladas de açúcar no Centro-Sul

Crescimento na quantidade de cana processada e também na produção de açúcar.  Segundo estimativa da DATAGRO, a moagem de cana-de-açúcar na região Centro-Sul deve chegar a 590 milhões de toneladas na safra 2023/24, volume 6,9% superior ao de 2022/23.

Em relação à produção de açúcar, projeta-se 38,30 milhões de toneladas para a região, que, caso se confirme, representaria crescimento de 13,1% ante a temporada anterior.

Os números foram apresentados no painel de estimativas da temporada da sétima edição do Santander DATAGRO Abertura de Safra Cana, Açúcar e Etanol, pelo presidente da DATAGRO, Plinio Nastari, em painel moderado por Hugo Cagno, presidente da UDOP. O evento está sendo realizado nesta quarta (8) e quinta-feira (9), em Ribeirão Preto – SP.

LEIA MAIS > Produtores inovam na aplicação de fertilizantes e maturadores

As projeções da DATAGRO apontam para uma produção de etanol estimada em 30,96 bilhões de litros, aumento de 5,9% ante 2022/23 – 11,70 bi de litros de anidro (+3,5%) e 19,26 bi de litros de hidratado (+7,5%).

Para o Norte e Nordeste, a DATAGRO projeta 58 mi de t de cana na safra 2023/24, alta de 3,6% ante 2022/23.

A produção de açúcar está prevista em 3,45 mi de t (+6,2%); a de etanol em 2,2 bi de litros.

De acordo com o presidente da consultoria, a avaliação geral sobre a safra 2023/24 é positiva. Há um bom volume de cana na região Centro-Sul, com o mix para o açúcar tendendo a ser de 48%.

“O crescimento da produção de açúcar no Centro-Sul não deve ser suficiente para reverter o aperto de estoques no físico”, disse. Ele ressaltou que há risco de logística para exportação de açúcar, que compete principalmente com milho.

LEIA MAIS > 20 anos da tecnologia flex é destaque na abertura da Santander DATAGRO

Também sinalizou atraso no plantio de cana de 18 meses o que deve impactar negativamente as canas do 1º terço de safra na temporada 2024/25. E que o El Niño pode trazer perda de aproveitamento de tempo no segundo semestre deste ano.

Quanto aos fundamentos de mercado internacional, Nastari afirmou que devem manter preços de açúcar suportados em 2023, “Provavelmente acima do etanol durante toda a safra”, alertou.

Banner Revistas Mobile