Mercado

Stephanes diz que expansão da cana não prejudica alimentos

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou em São Paulo que a produção de biocombustíveis não prejudicará a produção de alimentos no país. Em conversa com jornalistas dos agronegócios, Stephanes voltou a reiterar que a Floresta Amazônica ocupa mais de 42% do território nacional, ou 360 milhões de hectares, enquanto as culturas anuais abrangem apenas 6%, ou 50 milhões de hectares, e as áreas de pastagens chegam a 210 milhões de hectares.

“Para produzir açúcar e álcool, o país utiliza 6,5 milhões de hectares, área que pode chegar a 10 milhões de hectares, sem derrubar nenhuma árvore”, disse. Ele lembrou que a Embrapa está elaborando o zoneamento para a cultura de cana-de-açúcar, para identificar áreas indicadas, não indicadas e aquelas restritivas ao cultivo, como a Amazônia, o Pantanal e a Mata Atlântica.

Reinhold Stephanes destacou o crescimento positivo do agronegócio brasileiro, cujas exportações evoluíram de US$ 19 bilhões, em 2000, para US$ 46 bilhões neste ano, com a liderança em setores como os de carnes, soja, açúcar e café. “Só as exportações de frango já cresceram mais de 20% este ano”, adiantou.

Banner Evento Mobile