Mercado

Rodrigues aborda agronegócio

Com o auditório do pavilhão de química da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) lotado, o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues falou ontem durante o projeto Pan-Gnósio sobre a importância do agronegócio para a economia brasileira. “Percorri 81 países, dos mais variados credos e regimes políticos, nos últimos 20 anos e posso afirmar que nunca vi um crescimento tão espetacular neste setor”, disse Rodrigues.

De acordo com Rodrigues, os dados econômicos atuais mostram que o setor do agronegócio é responsável por um quarto do PIB (Produto Interno Bruto) do país, um terço das exportações e um terço dos empregos. “Como se não bastasse é um dos poucos que nunca se mostraram deficitários.”

Ele destaca que o Brasil registrou nos últimos 15 anos um crescimento de produção “em nível notável” em vários setores da produção agropecuária, como o de carnes: 71% para a carne bovina, 113% para a suína e de 170% para a de frango.

“Apesar disso, ouvi nos últimos tempos a teoria de que a agricultura, por gerar aumento de produção, tem sido causadora de inflação. E isso é uma falácia”, garante Rodrigues. Para reforçar sua posição, o atual professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas) apresentou dados acumulados no período do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Enquanto o índice geral aumentou 215% de maneira geral, o maior acréscimo entre as categorias agrícolas foi leite e derivados, com 175%. Todas as outras foram menores: carnes em 168%, verduras e hortaliças a 134%, sendo que frutas teve uma diminuição de 26%.

De acordo com Rodrigues, o agronegócio tem se demonstrado um dos maiores responsáveis também pelo crescimento do saldo da balança comercial brasileira. “Desde 1997 a 2006 as exportações só crescem. Em soja passamos de 19 milhões de toneladas para 39 milhões em dez anos. Em açúcar, triplicamos de 6 milhões de toneladas para 18 milhões”, destaca.

A conferência de Rodrigues encerrou a programação do Pan-Gnósio 2007. Desde março foram apresentadas 15 palestras, com temas variados como aquecimento global (pelo deputado federal Antonio Carlos de Mendes Thame), comunicação (com a editora responsável do Jornal de Piracicaba Rosemary Bars), educação (com o professor Samuel Pfromm Neto) e urbanização (com o arquiteto João Chaddad). O projeto é promoção da Adae (Associação dos Docentes Aposentados da Esalq) e será retomado em março de 2008.

Banner Evento Mobile