Mercado

Ritmo de moagem de cana no centro-sul cai, mas ainda supera 2004

A região centro-sul do Brasil moeu até o início deste mês 261,8 milhões de toneladas de cana, volume 10,9 por cento superior ao registrado até a mesma data de 2004, informou nesta terça-feira a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica).

O crescimento ante o ano passado se deve à maior disponibilidade de cana e ao clima predominantemente seco dos últimos meses, o que permitiu uma moagem ininterrupta. Mas o percentual de aumento diminuiu na última quinzena — era de 14 por cento até 16 de setembro.

“As chuvas ocorridas no mês de setembro ocasionaram uma redução na moagem de cana de 4,44 milhões de toneladas… se comparada com o mesmo mês da safra anterior”, declarou a Unica em um comunicado.

O volume moído até 1o. de outubro corresponde a 75 por cento da safra esperada na região, de 348,5 milhões de toneladas. Em 2004/05, a região colheu 328,8 milhões de toneladas.

Os dados acumulados até o início do mês demonstram a prioridade dada pelas usinas à fabricação de álcool, em detrimento do açúcar.

Foram produzidos 10,9 bilhões de litros de álcool, com aumento de 17,25 por cento sobre o fabricado em igual época da safra 2004/05.

No caso do açúcar, a produção até 1o. de outubro somou 17,3 milhões de toneladas, com aumento de 5,54 por cento ante 2004.

Até agora, 51,66 por cento da cana da região foi direcionada ao álcool, ante 49,05 por cento no ano passado.

A preferência do usineiro pelo álcool se deve principalmente aos preços sustentados do combustível, gerados pela expansão da demanda interna fruto das vendas de veículos flexíveis.

O interesse externo pelo produto –as exportações devem repetir este ano o recorde verificado em 2004– também estimula o incremento.

Banner Revistas Mobile